quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

ATÉ LOGO, SANTO PADRE




PAPA BENTO XVI



AUDIÊNCIA GERAL


Praça de São Pedro
Quarta-feira, 27 de Fevereiro de 2013


Queridos irmãos e irmãs,
No dia dezanove de Abril de dois mil e cinco, quando abracei o ministério petrino, disse ao Senhor: «É um peso grande que colocais aos meus ombros! Mas, se mo pedis, confiado na vossa palavra, lançarei as redes, seguro de que me guiareis». E, nestes quase oito anos, sempre senti que, na barca, está o Senhor; e sempre soube que a barca da Igreja não é minha, não é nossa, mas do Senhor. Entretanto não é só a Deus que quero agradecer neste momento. Um Papa não está sozinho na condução da barca de Pedro, embora lhe caiba a primeira responsabilidade; e o Senhor colocou ao meu lado muitas pessoas que me ajudaram e sustentaram. Porém, sentindo que as minhas forças tinham diminuído, pedi a Deus com insistência que me iluminasse com a sua luz para tomar a decisão mais justa, não para o meu bem, mas para o bem da Igreja. Dei este passo com plena consciência da sua gravidade e inovação, mas com uma profunda serenidade de espírito.
* * *
Amados peregrinos de língua portuguesa, agradeço-vos o respeito e a compreensão com que acolhestes a minha decisão. Continuarei a acompanhar o caminho da Igreja, na oração e na reflexão, com a mesma dedicação ao Senhor e à sua Esposa que vivi até agora e quero viver sempre. Peço que vos recordeis de mim diante de Deus e sobretudo que rezeis pelos Cardeais chamados a escolher o novo Sucessor do Apóstolo Pedro. Confio-vos ao Senhor, e a todos concedo a Bênção Apostólica.

© Copyright 2013 - Libreria Editrice Vaticana


domingo, 24 de fevereiro de 2013

HOJE É O DIA DO SENHOR


II DOMINGO DO TEMPO DA QUARESMA


No monte Tabor

Estamos no 2º domingo da Quaresma.
A Liturgia nos convida a subir o Monte Tabor
para fortalecer a nossa fé em nossa caminhada quaresmal.

A Campanha da Fraternidade nos propõe a acolher e valorizar os jovens,
propiciando caminhos no seguimento de Jesus Cristo,
na vivência eclesial e na construção de uma sociedade fraterna,
fundamentada na cultura da vida, da justiça e da paz

As leituras apresentam pistas para a nossa "TRANSFIGURAÇÃO".

A 1ª Leitura nos fala da FÉ DE ABRAÃO. (Gn 15,5-12.17-18)

Abraão já está velho, sem filhos, sem a terra sonhada e
sua vida parece condenada ao fracasso.
Deus lhe garante a Posse de uma Terra e uma descendência numerosa...
Ele confia totalmente em Deus e se põe a serviço dos desígnios do Senhor.

* Abraão é um modelo de fé: confia totalmente em Deus,
aceita os planos de Deus e se põe a serviço deles.

Na 2a leitura, PAULO mostra sua FÉ na transfiguração,
apesar do que via e condenava na comunidade:
  "Ele transformará o nosso corpo humilhado e
   o tornará semelhante ao seu corpo glorificado". (Fl 3,17-4,1)

* A nossa transfiguração e a transformação do mundo atual
exigem um processo contínuo de conversão.

O Evangelho apresenta a FÉ DOS APÓSTOLOS,
fortalecida na MONTANHA pela Transfiguração de Jesus. (Lc 9,28b-36)

Jesus está a caminho de Jerusalém com os Apóstolos.
O 1o anúncio da PAIXÃO provoca neles uma crise profunda...
Desmoronam as esperanças messiânicas, impregnadas de triunfalismo...
Os Apóstolos, decepcionados, entram numa profunda crise.

Para reanimar a fé abalada deles, Jesus...
- recorre à oração, na MONTANHA, lugar sagrado por excelência,
  onde Deus se revela ao homem e lhe apresenta seus projetos.
- se transfigura: Todo encontro autêntico com Deus deixa marcas visíveis
  no rosto das pessoas, como em Moisés ao descer do Sinai;
- Uma Voz confirma: "Este é o meu filho amado, escutai-o".

  Ao descer do monte, uma nova energia inundaria a sua pessoa e o coração
dos apóstolos, para continuar a marcha para Jerusalém, onde seria crucificado...

+ PORMENORES significativos do evangelho de Lucas:
- O Motivo da ida à Montanha: "Ele vai lá para orar..."
- O rosto deixa transparecer a presença de Deus durante a Oração.
- Aparecem Moisés e Elias que falam sobre o que encontrará em Jerusalém.
  Representam a Lei e os Profetas: o Antigo Testamento...
- Os três discípulos dormem, quando Jesus fala de doação da própria vida...
- As três Tendas: Pedro deseja permanecer contemplando o transfigurado.
   Jesus convida a descer o monte e prosseguir a caminhada...
   Não podemos nos acomodar em nossa tenda;
   precisamos agir e enfrentar os conflitos da caminhada.
- Da nuvem sai uma VOZ: "Este é meu Filho, ESCUTAI-O".
- No fim, "Jesus ficou sozinho": Moisés e Elias desaparecem...
   O Antigo Testamento já cumpriu sua tarefa.

OS TRÊS DISCÍPULOS:
- partilham a experiência da transfiguração, mas recusam-se a aceitar
  que o triunfo de Cristo passe pelo sofrimento e pela cruz;
- testemunham a transfiguração, mas parecem não ter muita vontade
  de descer à terra e enfrentar o mundo e os problemas dos homens;
- representam os que vivem de olhos postos no céu, mas alheados
  da realidade do mundo, sem vontade de intervir para o renovar e transformar.

Agentes da transfiguração:
- Nós, como os apóstolos, deparamos com a cruz...
  E a primeira reação costuma ser a mesma: fugir dela.
  Aceitamos com alegria o Tabor... mas temos dificuldade em aceitar o Calvário.
- Nesses momentos, para reanimar a nossa fé,
  Deus continua "inventando" também para nós um Tabor,
  dando-nos uma pequena amostra de sua beleza e de sua glória.
- Contudo é bom lembrar que, o Tabor foi apenas uma parada
  que Jesus fez em seu caminho para o Calvário.
  Também para nós, o Tabor continua sendo uma situação transitória,
  para que sejamos testemunhas vivas do que nos espera...

+ O Nosso Tabor...
A transfiguração aconteceu oito dias após o anúncio da Paixão...
Para os cristãos, o 8º Dia é o "Dia do Senhor",
no qual a comunidade se reúne para escutar a Palavra e para partir o Pão.

Todos os domingos, devemos SUBIR a Montanha para CONTEMPLAR
o Cristo transfigurado (ressuscitado) e ESCUTAR a sua voz.
E depois, transfigurados, DESCER a Montanha (sair da igreja)
para prosseguir a nossa caminhada como agentes da transfiguração,
dispostos a enfrentar o mundo e os seus problemas...

* O que fazemos no DOMINGO?
SUBIMOS a Montanha... para contemplar esse Rosto... para escutar essa Voz?
e depois DESCEMOS reanimados para prosseguir a nossa caminhada?

Só assim nossa Comunidade será um poderoso instrumento
para que esse mundo desfigurado em que vivemos,
rejuvenesça cada dia no mundo maravilhoso que Deus criou...

     Pe. Antônio Geraldo Dalla Costa - 24.02.2013


quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

A ORAÇÃO DE ESTER




«Meu Senhor, nosso único Rei, vinde socorrer-me, porque estou só e não tenho outro auxílio senão Vós 
e corre perigo a minha vida. Desde criança, ouvi dizer na minha tribo paterna que Vós, Senhor, escolhestes Israel entre todos os povos e os nossos pais entre os seus antepassados, para serem a vossa herança perpétua, e cumpristes tudo o que lhes tínheis prometido.
Lembrai-Vos de nós, Senhor, e manifestai-Vos no dia da nossa tribulação. Fortalecei-me, Rei dos deuses e Senhor dos poderosos. 
Ponde em meus lábios palavras harmoniosas, quando estiver na presença do leão, e mudai o seu coração, para que deteste o nosso inimigo e o arruíne com todos os seus cúmplices. 
Livrai-nos com a vossa mão; vinde socorrer-me no meu abandono, porque não tenho ninguém senão Vós, Senhor».
‪(Livro de Ester ‪14,1.3-5.12-14)

(Muitas vezes recorremos a Deus com palavras de súplica, porque assumimos que estamos impotentes perante os problemas da nossa vida e que só Deus pode intervir no que nos é impossível. Quantos leões nos cercam, prontos a derrubar-nos! A rainha Ester tinha todas as riquezas que o mundo pode dar, mas era infeliz porque não tinha “nada”, por isso recorreu a Deus e Ele ouviu o seu grito.
Lê com atenção a resposta do Senhor!)


‪Evangelho segundo S. Mateus ‪7,7-12.
Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: «Pedi, e ser-vos-á dado; procurai, e encontrareis; batei, e hão-de abrir-vos. 
Pois, quem pede, recebe; e quem procura, encontra; e ao que bate, hão-de abrir. 
Qual de vós, se o seu filho lhe pedir pão, lhe dará uma pedra? 
Ou, se lhe pedir peixe, lhe dará uma serpente? 
Ora bem, se vós, sendo maus, sabeis dar coisas boas aos vossos filhos, quanto mais o vosso Pai que está no Céu dará coisas boas àqueles que lhas pedirem.» 
«Portanto, o que quiserdes que vos façam os homens, fazei-o também a eles, porque isto é a Lei e os Profetas.»
(Mt 7,7-12)

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

VINDE, BENDITOS DE MEU PAI




Deus quer salvar-nos, cuidar de todos nós e até nos transporta muitas vezes “sobre as asas de águia” com muito amor, para não nos magoarmos nas pedras do caminho.

HOJE, todos são convidados a escutar a Sua voz, repleta de palavras de Vida eterna. 
Aqueles que abrirem a porta do seu coração e a escutarem, o Senhor entrará e “ceará” com eles. Assim, o Senhor será o seu Deus e eles serão o Seu Povo eleito e santo.


ENSINAI-NOS, SENHOR, OS VOSSOS CAMINHOS.



"Se hoje, escutardes a sua voz,
não endureçais o coração."



sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

O JEJUM AGRADÁVEL A DEUS




(É preciso mudar as atitudes e os comportamentos conservadores a respeito do jejum. Habituámo-nos a considerar o jejum apenas no aspecto do “corte” naquilo que comemos, durante dois dias da Quaresma. Mas está escrito na Bíblia que não é esse o jejum de que Deus gosta. Então lê com atenção o que nos diz a Palavra de hoje e tenta praticá-la, pelo menos deseja agradar ao Senhor. Rezaremos uns pelos outros.)


 “Não jejueis como tendes feito até hoje, se quereis que a vossa voz seja ouvida no alto.

O jejum que me agrada é este: libertar os que foram presos injustamente, pôr em liberdade os oprimidos,
repartir o teu pão com os esfomeados, dar abrigo aos infelizes sem casa, atender e vestir os nus e não desprezar o teu irmão. ...
Então, a tua luz surgirá como a aurora, e as tuas feridas não tardarão a cicatrizar-se. A tua justiça irá à tua frente, e a glória do SENHOR atrás de ti. 
Então invocarás o SENHOR e Ele te atenderá, pedirás auxílio e te dirá: «Aqui estou!»
Livro de Isaías ‪58,1-9a.



PASSA UM DIA TRANQUILO