sábado, 31 de dezembro de 2011

Hoje é o último dia do ano 2011







Que dizer? Que fazer? São os cumprimentos com frases tradicionais para os amigos.

Mais, faço desejos sinceros de que o próximo ano seja de maior entendimento da realidade da vida que nos rodeia.

Nada acontece por acaso, porque não andamos neste mundo “ao calhas”, perdidos. Os que assim pensam, suicidam-se, como já está a acontecer bem perto de nós, procuram ambiente ilusórios, consomem drogas para conseguirem viver sem pensar nem ver o caos das suas vidas...

Que neste próximo ano, eu e tu, consigamos sair da nossa apatia-preguiça e ir ao encontro desses irmãos, trazê-los para o nosso redil onde há tribulações mas também muita esperança e amor para partilhar.

E por todo este ano que passou convido-te a cantares comigo este Salmo de Louvor ao Senhor por tudo quanto nos deu, pois TUDO nos foi dado por amor, para nossa salvação.


(In: Bíblia de Jerusalém)



FELIZ ANO NOVO
 


sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Fiesta Familia Cristiana. El Cardenal Rouco lee el mensaje del Santo Pad...


Madrid

DESEJO UM ALEGRE DIA DA FAMÍLIA VIVIDO EM COMUNHÃO







DESEJO UM ALEGRE DIA DA FAMÍLIA VIVIDO EM COMUNHÃO


Neste dia, que nos é dedicado -, porque cada um de nós nasceu de um casal , tem uma família, um nome dado pelos pais e um lugar de nascimento -, vamos pedir ao nosso Deus que cada família tenha casa, comida, trabalho para satisfazer as necessidades de subsistência e esperança numa vida nova. É este o nosso desejo.

Porém, para que não se fique apenas em palavras, acrescento que a realização deste desejo tem muito a ver com a nossa atitude . Deus criou o Mundo e tudo o que ele contém, para toda a Humanidade, não para dois ou três indivíduos. Deu-nos este universo para cuidarmos dele e usufruirmos em igualdade de oportunidades.

Meus amigos, quem primeiro chegou e açambarcou mais do que devia, tem que devolver a quem tirou e ficou sem nada.

Devolvam, partilhem e verão que todos ficarão felizes.


UM ALEGRE DIA DA FAMÍLIA VIVIDO
SEM RANCORES
E EM COMUNHÃO.


Día de la Familia







Me queda daros una noticia y es que vamos a hacer el encuentro de la Sagrada Familia el día 30. He hecho un cartel.
La fiesta de la Sagrada Familia normalmente se celebra el domingo siguiente a Navidad, pero este año no es posible porque el domingo siguiente a Navidad es Año Nuevo, que es la fiesta de la Santa María Madre de Dios, que es solemnidad importantísima. Entonces la fiesta de la Sagrada Familia se celebrará el 30 de diciembre, que es viernes.
El cardenal ha pensado que en vez de pasar el encuentro más adelante, en enero que hace más frío que en diciembre, se hará ese día, y quiere invitar a los jóvenes de la JMJ a dar gracias a Dios por la familia cristiana, porque gracias a esas familias han nacido los jóvenes.
Los jóvenes que hemos visto en la JMJ son fruto de la familia cristiana y han sido convocados para dar gracias a Dios en una Eucaristía que será en la Plaza de Colón.

“Gracias a la familia cristiana hemos nacido los jóvenes de la JMJ”

“Gran Eucaristía de acción de gracias por la familia en la Plaza de Colón. 30 de diciembre, fiesta de la Sagrada Familia, de 2 a 5 de la tarde”

El Papa hablará a los jóvenes y a la familia. Mirad el momento: los cerca de un millón de jóvenes que hemos visto en la JMJ, son fruto de las familias cristianas abiertas a la vida ¿Es verdad o no? Por eso les hemos dicho a los jóvenes ¿Estáis dispuestos a venir a dar gracias a Dios por vuestra familia? Y han dicho todos: sin duda ninguna, han dicho los jóvenes del Camino, vamos de rodillas porque mi familia es lo más estupendo que hay en el mundo ¿cómo no voy a dar gracias a Dios por mis hermanos, por mi padre y por mi madre?

Si queréis dar gracias a Dios por vuestra familia, hacedlo en la Misa, que no hay cosa más maravillosa que una Misa de acción de gracias a Dios el día de la Sagrada Familia. ¿Os parece buena idea? El Cardenal y nosotros queremos subrayar la importancia de la familia, que sin familia no hay sociedad, no hay Europa, no hay futuro; la sociedad de Escandinavia no tienen hijos, no hay familias, están llenándose de emigrantes, se están llenando de musulmanes, que ellos si tienen hijos y los europeos no tienen hijos; o sea, que estamos avocados a una descomposición sociológica enorme en pocos años.


 Sin embargo nuestros hijos, todos esos jóvenes que habéis visto serán los futuros abogados, ingenieros, médicos, etc. en la sociedad. Cuando la sociedad deja de creer en Dios, la corrupción aumenta a todos los niveles. En este momento el enemigo más grande en China es la corrupción, y no saben cómo detenerla; todos roban, pero los hermanos del Camino, si de verdad Dios les ha quitado del corazón la idolatría del dinero, verás que puedes meterlos en tu fábrica a trabajar porque no te roban.

. . . Y yo le he dicho al Cardenal que nosotros podemos llevar la sinfonía y en la comunión tocaremosResurrexit, y le ha parecido muy bien. Estará también la orquesta de la JMJ.

Nosotros hacemos una Eucaristía llena de cantos y de fiesta por la familia. He hablado en Roma de la familia y la nueva evangelización.

KIKO


(In: Idyanunciad.com)


quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Kiko Argüello: «La familia cristiana, si tiene fe auténtica, es invencible»



(Álvaro de Juana - La Razón) Miles de jóvenes del Camino Neocatecumenal participarán mañana en esta gran fiesta, como han hecho cada año. Desde Europa llegarán miles de ellos para dar gracias por su familia y el iniciador del Camino –Doctor Honoris Causa por su apoyo y defensa de la familia– estará como cada año en Colón.
Podríamos decir que Madrid se ha convertido ya en la capital de la familia en Europa. ¿Por qué es necesario continuar celebrando este Día de la Familia?
Porque Europa se juega su futuro sobre la familia cristiana. La realidad es que no nacen hijos y falta el cambio generacional. Basta con estudiar un poco lo que sucede en el norte de Europa, donde las familias están prácticamente destruidas. Es una sociedad en la que la gente está sola y esto afecta a la economía porque, por ejemplo, consumen sólo un tipo de alimentos y el comercio se estanca. En una familia con cinco hijos los niños necesitan zapatos, camisas, etcétera. Toda la industria, la economía, se regenera. La familia educa a los hijos en el amor y en la solidaridad hacia los demás. Es algo de sentido común. Pero, ¿qué está sucediendo en la Europa de hoy? Queremos también dar un testimonio por encima de lo religioso, es decir, desde el punto de vista humano.
Y estos dos puntos de vista…
Para una sociedad equilibrada es importante la familia porque es la célula fundamental. Hay que recordar que el Papa Pablo VI, en la «Humanae Vitae», señala que todo acto conyugal tiene que ser abierto a la vida. Es un sacramento donde se hace presente el Espíritu Santo. La Iglesia considera el tálamo nupcial como un altar, porque es donde se da lugar a la vida humana. ¿Cómo es posible que en nuestra sociedad, en la que vivimos hoy, continúen matando niños, por ejemplo, mediante el aborto? Es inaudito.
¿Se ha perdido conciencia de lo que es el matrimonio?
Es importante conocer todas las catequesis de Juan Pablo II que hablan sobre la Teología del Cuerpo en la que explica la maravilla de la sexualidad, que en el cristianismo es algo santo. Es el respeto al cuerpo. Cuando se obliga al cuerpo a hacer un acto contrario al plan de Dios la misma naturaleza se altera. Esto sucede porque la naturaleza quiere dar la vida, no matarla y Dios ha querido mostrar el amor que tiene a la humanidad en un sacramento: el matrimonio. Por eso, Dios se muestra ante el pueblo de Israel como el esposo y cuando Moisés les lleva desde Egipto al Monte Sinaí lo presenta como una esposa y realiza un acto esponsal con él. Los rabinos señalan que la Alianza en el Monte Sinaí es la «ketubbah» –contrato matrimonial en hebreo-, los diez mandamientos. Estos son los fundamentos de nuestra civilización judeocristiana que ya se han destruido.
¿Afecta esto a las raíces de nuestra cultura?
Algunos dicen que nuestras raíces no son cristianas, lo que es una barbaridad. Sin embargo, quisiéramos que Europa fuera consciente de la gracia inmensa que es ser cristiano. Esto es tener una vida nueva, inmortal, que nos ha dado Jesucristo. Porque los cristianos tenemos dentro Vida Eterna. Por eso, el matrimonio es indisoluble y es posible amar al marido o la mujer en la dimensión del enemigo. Los matrimonios que no tienen fe no lo pueden resistir, se sienten amenazados por la alteridad del otro y se matan, se separan o se divorcian. Los cristianos no porque podemos perdonarnos. Nuestro ser más profundo es subsanado y curado por gracia del Espíritu Santo.
¿Qué piensas del lema de este año «Gracias a la familia hemos nacido»?
Me parece muy acertado porque ha sido un testimonio ver a un millón y medio de jóvenes en Madrid el pasado agosto. Sabemos que el 70 por ciento pertenecían a familias numerosas. Hemos visto lo contentos que estaban a pesar de las horas que han pasado al sol. La Policía ha dicho que no ha encontrado jóvenes borrachos ni drogados y se ha visto una juventud nueva, un signo de esperanza que muestra una Iglesia viva. Estamos pasando la fe a los hijos en las familias como hacían los primeros cristianos.
La familia, si tiene fe auténtica, es invencible, por lo que estamos muy contentos de ver que los jóvenes del Camino Neocatecumenal son mejores que nosotros y tienen mucha ilusión. Para la Jornada de la Juventud vinieron cerca 200.000 jóvenes de esta iniciación cristiana que es el Camino y les enviamos antes a evangelizar por toda Europa. Todo es fruto de la familia cristiana. Por eso en Madrid van a dar gracias a Dios por ella.

(In:caminayven )

SENHOR, QUE EU VEJA OS SINAIS DO TEU AMOR





A vida traz-nos surpresas incríveis: há quinze dias, a minha casa foi inundada por um sol muito brilhante que nunca se pôs até ao dia de hoje, em que de repente foi embora e me deixou na sombra.
Estou triste e dorida, é verdade. Estou vazia, também é verdade.
É um facto, que, quando me agarro às “luzes da terra” e elas se vão, eu fico no escuro.

Porém eu sei que se “misturar” este meu sol, com a Luz que vem do alto, nunca ficarei nas trevas mesmo que o meu sol se vá. Por isso eu tenho de optar sempre, por esta Luz que não permite nunca, que eu fique triste quando a “outra” me deixa.

É difícil! Preciso de pedir ajuda, a força do Espírito de Deus para me tirar deste sufoco!

Sei também que tenho é que dar graças a Deus por estes dias de “deslumbramento” que o Senhor me quis dar, permitindo que tivéssemos paz, saúde e alegria na minha família. Foi um privilégio viver assim este Natal, no meio de irmãos que muito sofrem.
É amigos, isto só mostra que eu continuo a ser muito egoísta e não gosto de sofrer; quero ser eu a decidir da minha vida e que ela seja o que eu quero, pondo Deus fora dos meus planos.

Rezem por mim, queridos amigos, para que eu “veja” os sinais do Amor de Deus na história da minha vida.

PASSA UM BOM DIA.



quarta-feira, 28 de dezembro de 2011

Fiesta: Los Santos Inocentes, mártires






Evangelio
Evangelio: Mt 2, 13-18 
Cuando se marcharon, un ángel del Señor se le apareció en sueños a José y le dijo:
—Levántate, toma al niño y a su madre, huye a Egipto y quédate allí hasta que yo te diga, porque Herodes va a buscar al niño para matarlo.
Él se levantó, tomó de noche al niño y a su madre y huyó a Egipto. Allí permaneció hasta la muerte de Herodes, para que se cumpliera lo que dijo el Señor por medio del Profeta:
De Egipto llamé a mi hijo.
Entonces, Herodes, al ver que los Magos le habían engañado, se irritó mucho y mandó matar a todos los niños que había en Belén y toda su comarca, de dos años para abajo, con arreglo al tiempo que cuidadosamente había averiguado de los Magos. Se cumplió entonces lo dicho por medio del profeta Jeremías: Una voz se oyó en Ramá,
llanto y lamento grande: es Raquel que llora por sus hijos, y no admite consuelo, porque ya no existen.  

Amor a los enemigos

De diversos modos explicaba Jesús a sus discípulos y a la gente que sus fieles –los hijos de Dios– vivimos en un mundo hostil. Guardaos bien de los falsos profetas, que se os acercan disfrazados de oveja, pero por dentro son lobos voraces. Nos previene, así, el Señor sobre la realidad de nuestra existencia cotidiana. No para que asiente en nosotros la desconfianza por sistema, sino para que seamos prudentes y organicemos nuestra actividad, sobre todo apostólica, contando con el enemigo de nuestra santificación. El pecado, y su inductor, el diablo, están presentes en la vida de los hombres y temerario sería ignorarlo.
En muchos momentos de su vida pública habla Jesucristo a esta realidad, animando a los hombres a una lucha esforzada, para no sucumbir ante los enemigos de su santificación. Así, por ejemplo, asegura: desde los días de Juan el Bautista hasta ahora, el Reino de los Cielos padece violencia, y los esforzados lo conquistan. Se refiere Nuestro Señor a un verdadero esfuerzo, auténtica violencia propia de quien pretende una conquista, que es imprescindible, pues sin ella no es posible alcanzar el Reino de los Cielos.
Hoy nos presenta la Iglesia, en la fiesta de los santos Inocentes, un acontecimiento histórico, manifestación evidente del pecado y de Satanás. En efecto, el rey Herodes no tiene inconveniente en hacer morir a todos los niños de la comarca de Belén, prentendiendo suprimir de este modo a Jesús, a quien consideraba rival de su trono humano, a partir de su interpretación errónea de las Escrituras. El egoísmo personal y el despreció a Dios y a los hombres, que se manifiestan de modo tan evidente en el pecado de Herodes, de algún modo, están asimismo presentes en todo pecado.
El recuerdo de estos Santos mártires nos hace pensar en tantas otras situaciones de injusticia. También en nuestros días –como en épocas pasadas de la historia humana– hay inocentes que padecen por la arbitrariedad egoísta de algunos poderosos. En ocasiones sufren de modo desproporcionado los que quieren vivir su fe en Jesucristo hasta sus últimas consecuencias. También ahora son condenados a muerte en diversos lugares; en otros padecen prisión; o son privados de sus derechos cívicos; o deben ocultar toda manifestación de fe católica porque, en cuanto Iglesia, son oficialmente perseguidos.
Pocas veces es posible acudir a la legalidad en situaciones de opresión a causa de la fe: son las leyes del lugar las que consienten en la injusticia. Únicamente sería posible, en algún caso, apelar a la justicia y a la fuerza internacional: proceso tremendamente complicado y, casi siempre, fuera del alcance de los injustamente tratados. En todo caso, habrá que agotar todos los medios humanos lícitos, para vivir con libertad como hijos de nuestro Padre del Cielo, aunque finalmente no se pueda lograr. Con mayor motivo hay que poner todos los medios, si cabe, si se trata más bien de una presión negativa tan sólo psicológica, como la aversión a la Iglesia Católica en determinado ambiente profesional, cultural o incluso familiar, pero sin otras consecuencias materiales o sociales importantes. Son situaciones en las que es preciso recordar lo que nos decía el Señor: A todo el que me confiese delante de los hombres, también yo le confesaré delante de mi Padre que está en los cielos. Pero al que me niegue delante de los hombres, también yo le negaré delante de mi Padre que está en los cielos.
En todo caso, los malos, enemigos de Dios, nuestros enemigos, existen. Precisamente por ellos –por cada uno de nosotros, que también somos malos– el Hijo de Dios tomó nuestra carne y padecido por nuestra salvación. Su mandamiento es la Caridad: Habéis oído que se dijo: Amarás a tu prójimo y odiarás a tu enemigo. Pero yo os digo: amad a vuestros enemigos y rezad por los que os persigan, para que seáis hijos de vuestro Padre que está en los cielos, que hace salir su sol sobre buenos y malos, y hace llover sobre justos y pecadores. Porque si amáis a los que os aman, ¿qué recompensa tenéis? ¿No hacen eso también los publicanos? Y si saludáis solamente a vuestros hermanos, ¿qué hacéis de más? ¿No hacen eso también los paganos?
¡Que toda injusticia padecida sea, ante todo, ocasión de oración! En efecto, al cristiano debe moverlo la compasión, la misericordia, el perdón, el deseo ardiente de conversión para los que le tratan mal. De modo particular si se manifiesta en ese mal trato oposición a la Iglesia de Dios, como es el caso de tantas situaciones actuales de persecución y discriminación social por causa de la fe. En todo caso, bueno es afianzar la costumbre que suplicar su primero el perdón de Dios, el arrepentimiento y una mejora de vida para aquellos que nos ofenden, en lugar de esa inmediata crítica, tal vez con rencor, que podría ir por delante e imponerse a cualquier otro sentimiento hacia nuestros enemigos.
Madre de misericordia , cantamos a Santa María. Y con su bondad incondicionada nos hace también misericordiosos si se lo pedimos.

(El Domingo)



Oitava de Natal: Vigília dos Santos Inocentes





CELEBRAÇÃO SINFONIO-CATEQUÉTICA SOBRE O SOFRIMENTO DOS INOCENTES

Ontem houve um momento espiritual único!

Ontem todo o mundo teve a feliz oportunidade de aceder a um site espanhol - www.mariavision.es - que nos presenteou com a transmissão em directo da cidade de Belém, com esta Sinfonia Catequética, na Vigília dos Santos Inocentes, nesta Belém onde nasceu o Deus Menino e onde foram martirizadas crianças inocentes, como nos conta o Evangelho segundo S. Mateus 2, 13-18.

No anfiteatro onde ocorreu a Sinfonia, encontravam-se o Fundador do Caminho Neocatecumenal, o Sr Arcebispo de Jerusalém, muitas comunidades Neocatecumenais vindas de todo o País e autoridades civis.

Já tive ocasião de apresentar algum tema desta Sinfonia Catequética. O Kiko Arguello teve o cuidado de nos fazer presente mais uma vez, os temas que iríamos escutar sobre a Paixão de Cristo, traduzida nesta música maravilhosa e lida por músicos do Caminho Neocatecumenal provenientes da Espanha e Itália, complementada por um coro espectacular pela força espiritual que imprimiam ao canto.

Os temas são:

1-Getsêmani: O sofrimento de Jesus no Monte das Oliveiras; Deus envia um Anjo para consolar Jesus; Jesus a aceita a vontade do Pai, gritando “Abba”.

2-Lamento de Maria: Nossa Senhora chora aos pés do Seu Filho Jesus, junto à Cruz – as notas tocadas pela harpa simbolizam as lágrimas da Virgem Maria.

3-Jesus na Cruz, perdoa a todos nós, pecadores.

4-Espada: a espada atravessa a alma de Maria. O Anjo diz-Lhe: Maria, Maria, mãe de Deus, ânimo.


- Finalmente a orquestra tocou “Ressurreci” acompanhada pelo coro. 

Uma maravilha.



terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Oitava do Natal: Hoje a Igreja celebra a festa de S. João, Apóstolo e Evangelista.





O Verbo se fez carne e habitou entre nós, e nós vimos a sua glória. Aleluia.”


João, filho de Zebedeu e Salomé, irmão de Tiago e amigo de Pedro. Pescadores, viviam nas margens do Lago de Tiberíades.

João foi discípulo de João Baptista.

Escreveu o Apocalipse e o último Evangelho a ser escrito, foi o dele.

O Evangelho de hoje – Jo 20,2-8 – chamou-me a atenção pela atitude de João, face ao “o sepulcro vazio”. É que João, ao escutar o anúncio da Maria Madalena, corre ... e faz-se acompanhar por Pedro; ao chegar à porta do túmulo, deixou passar Pedro que foi o primeiro a entrar e os sinais que este encontrou, levaram-no a pensar em morte; porém João, vendo os mesmos sinais, identificou-os com ressurreição.

João é o “discípulo amado”, porque se deixou amar por Deus.




Não resistamos ao Senhor!
Como João, deixemo-nos amar por Deus.


Vós quisestes, ó Pai, que o vosso Filho, ressuscitado dos mortos, aparecesse em primeiro lugar aos Apóstolos: fazei de nós suas testemunhas até aos confins da terra.” - das Laudes do dia.


segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Oitava do Natal




Pensamos hoje, que tudo passou?
Tantos preparativos, canseira, dinheiro gasto para a consoada e prendas para, hoje estarmos vazios, com a casa para arrumar, limpar … ?
Só que, meu Amigo, o Natal não passou. Hoje ainda é Natal! Neste momento o carrilhão da Sé está a tocar “É Natal” para me lembrar o que estou a escrever. Será que achas que deves mudar alguma atitude ou comportamento, para não te sentires assim … ? Procurando bem, temos sempre alguma coisa a mudar. Porque Natal , quer dizer nascimento! nascimento do Menino Jesus, e especialmente de algo de novo em ti e em mim. Esperança de que o Menino nasceu para nos dar uma vida nova, que não tem nada a ver com consoada e prendas...

Fizeste uma arvore de Natal linda, com muitas luzes, eu também. Mas elas só brilham, porque estão ligadas à corrente e gastam dinheiro. Queremos luz que nos ilumine para sempre, sem gastar. Essa Luz é Cristo. Mas eu também fiz, no centro da sala o Presépio e de volta e meia sento-me perto dele a contemplar todo aquele conjunto de figuras que representam uma realidade que se passou há muitos anos, por minha e por tua causa. Que extraordinário!
Olha bem para o teu presépio – se não o fizeste ainda estás a tempo – e vê a humildade e a simplicidade do Menino que é Filho de Deus; o anjo que anuncia a pastores, os marginais da época … É porque Deus nos quer dizer alguma coisa, não achas?

Por isso, a Alegria do Natal!
É que temos um Deus que nos ama infinitamente, nos guia, protege e nos quer salvar. Deixemo-nos levar por Ele.


CONTINUAÇÃO DE BOAS FESTAS
  


S. Estêvão, primeiro mártir






Depois do Pentecostes, os apóstolos dirigiam o anúncio da mensagem cristã aos mais próximos, aos hebreus, aguçando o conflito apenas acalmado da parte das autoridades religiosas do judaísmo. Como Cristo, os apóstolos conheceram logo as humilhações dos flagelos e da prisão, mas apenas libertados das correntes retomam a pregação do Evangelho. A primeira comunidade cristã, para viver integralmente o preceito da caridade fraterna, colocou tudo em comum, repartindo diariamente o que era suficiente para o seu sustento. Com o crescimento da comunidade, os apóstolos confiaram o serviço da assistência diária a sete ministros da caridade, chamados diáconos.

Entre eles sobressaía o jovem Estêvão, que além de exercer as funções de administrador dos bens comuns, não renunciava ao anúncio da Boa Nova, e o fez com tanto sucesso que os judeus “chegando de improviso, arrebataram-no e levaram à presença do Sinédrio. Lá apresentaram falsas testemunhas que depuseram: ‘Este homem não cessa de falar contra o Lugar santo e contra a Lei. Ouvimo-lo dizer que Jesus Nazareno destruiria este Lugar e modificaria as tradições que Moisés nos legou”.

Estêvão, como se lê nos Actos dos Apóstolos, cheio de graça e de força, como pretexto de sua autodefesa, aproveitou para iluminar as mentes de seus adversários. Primeiro, resumiu a história hebraica de Abraão até Salomão, em seguida afirmou não ter blasfemado nem contra Deus, nem contra Moisés, nem contra a Lei, nem fora do Templo. Demonstrou, de facto, que Deus se revelava também fora do Templo e se propunha a revelar a doutrina universal de Jesus como última manifestação de Deus, mas os seus adversários não o deixaram prosseguir no discurso, porque “dando altos gritos, taparam os ouvidos, precipitaram-se sobre ele, levaram-no para fora da cidade e o apedrejaram.”

Dobrando os joelhos debaixo de uma tremenda chuva de pedra, o primeiro mártir cristão repetiu as mesmas palavras de perdão pronunciadas por Cristo sobre a Cruz: “Senhor, não lhes imputes este pecado. ”Em 415 a descoberta de suas relíquias suscitou grande emoção na cristandade. A festa do protomártir foi sempre celebrada imediatamente após a festividade do Natal.





(In: Solenidades.blog)

domingo, 25 de dezembro de 2011

Solemnidad de Navidad





Os ha nacido un salvador, el Mesias, el Señor.







Sun, 25 Dec 2011 08:13:00



CAMINEO.INFO.- ISAÍAS 52, 7-10; SALMO 97; HEBREOS 1, 1-6; SAN JUAN 1, 1-18 . En un día como hoy la primera experiencia es de admiración: ¡¡Dios se hace un niño!! Lo celebramos cada año, pero no podemos dejar nunca de admirarnos delante de este hecho. 

Dios se ha hecho un niño. Lo invisible, se ha hecho visible. El Todopoderoso se ha hecho débil. El Eterno, se ha hecho finito. El Inmortal se ha hecho mortal. Lo inasequible, se ha hecho accesible. Creer, de verdad, todo esto ¡¡es una osadía!! 

¡Esto es inimaginable!, ¡sorprendente!, ¡impensable! 

Por esto, nos hace falta cada año pararnos, pensarlo, rezarlo, admirarnos y adentrarnos en uno de los misterios más principales de la vida de Jesús, que están en el fundamento de nuestra vida.  ...

Hoje é o dia do Senhor





É Natal




A liturgia de hoje nos convida a contemplar o amor de Deus, manifestado na encarnação de Jesus…
Ele é a "PALAVRA" que se fez pessoa
e veio habitar no meio de nós,
a fim de nos oferecer a vida em plenitude e
nos elevar à dignidade de "filhos de Deus".

A Liturgia da noite realça a condição humilde do menino de Belém ("quenose").
A Missa do dia proclama sua eterna grandeza, a sua GLÓRIA "sem véu".

A 1ª Leitura anuncia a chegada do Deus libertador. (Is 52,7-10)

Ao Povo desolado e abandonado no exílio,
o Profeta procura fortalecer a esperança,
apresentando um quadro fictício, mas muito sugestivo:
À Jerusalém desolada e em ruínas, chega com uma "boa notícia"
um mensageiro que anuncia "a paz" (shalom), proclama a "salvação"
e promete o "reinado de Deus".
O profeta garante que Deus vai voltar à sua cidade em ruínas
e fazer dela uma cidade bela e cheia de vida,
como uma noiva em dia de casamento.
Uma alegria contagiante toma conta de todos.

- A alegria contagiante das sentinelas e das próprias pedras da cidade
é o anúncio de outra libertação, plena e total,
que Deus vai oferecer ao seu Povo através de Jesus e
a imagem da alegria de todos os homens,
que hoje celebram o começo de um mundo novo
e contemplam os sinais do seu crescimento progressivo.
No entanto, para que essa "boa notícia" se cumpra,
é preciso acolher Jesus e aderir ao "Reino" que Ele veio propor.

A 2ª Leitura apresenta uma breve História da Salvação.
O Plano salvador de Deus se manifesta inicialmente pelos Profetas e
"nestes dias" pelo próprio "Filho", Jesus Cristo. (Hb 1,1-6)

Celebrar o nascimento de Jesus é contemplar o amor de um Deus
que encontrou muitas maneiras de se revelar...
Falou através da Criação, através dos Profetas.
Mas na plenitude dos tempos enviou o próprio Filho...
Jesus Cristo é a Palavra viva e definitiva de Deus,
que revela aos homens o verdadeiro caminho para chegar à salvação.

* Celebrar o seu nascimento é acolher essa Palavra viva de Deus…
É acolher o projeto que Jesus veio apresentar e
fazer dele o critério fundamental de nossa vida.

O Evangelho é um Hino Cristológico, que expressa a fé em Cristo,
enquanto PALAVRA viva de Deus, tornada pessoa em Jesus Cristo. (Jo 1,1-18)

O texto é um Hino, que expressa a fé da comunidade de João em Cristo,
a sua origem eterna, a sua procedência divina,
a sua influência no mundo e na história,
possibilitando aos homens que O acolhem e escutam
tornarem-se "filhos de Deus".

- É o Prólogo ao Evangelho, segundo João.
- A expressão "no princípio" relaciona com a narrativa da Criação.
Sugere que a missão da "Palavra" é completar a primeira criação,
eliminando tudo aquilo que se opõe à vida e criando condições
para que nasça o Homem Novo, o homem da vida em plenitude,
o homem que vive uma relação filial com Deus.
- A "Palavra" (Lógos) é uma realidade anterior ao céu e à terra.
- Essa "Palavra" estava em Deus e "era Deus".
É Deus que se comunica como "Palavra".
Essa "Palavra" é geradora de vida para o homem e para o mundo.
- Ela se fez "carne" em Jesus e "montou a sua tenda no meio de nós".
Agora, Jesus é a "tenda" onde Deus habita.
- A função da "Palavra" é comunicar aos homens a vida em plenitude,
a "Luz" que ilumina o caminho para a verdadeira Vida.
- Muitos recusam essa "Luz", preferem caminhar nas trevas...
- Quem acolhe a "Palavra" participa da Vida de Deus,
torna-se "filho de Deus".

- Neste dia, somos convidados a contemplar, numa atitude de serena adoração,
esse amor sem limites, que aceitou revestir-se de nossa fragilidade,
a fim de nos dar vida em plenitude...
* Acolher a "Palavra" é deixar que Jesus nos transforme, nos dê a vida plena,
a fim de nos tornarmos, verdadeiramente, "filhos de Deus".

- O presépio que hoje contemplamos não deve ser apenas
um quadro bonito e terno, mas uma interpelação
para acolher a "Palavra" e crescer como homem novo.
Hoje, como ontem, a "Palavra" continua a nos confrontar:
Muitos ainda recusam a "Luz" e preferem andar nas "trevas"...
- Qual é a nossa escolha? - Feliz Natal!...


Pe. Antônio Geraldo Dalla Costa - 25.12.2011
 

JÁ NASCEU O MENINO JESUS





BOAS FESTAS DE NATAL


"Um Menino nos foi dado ..."

sábado, 24 de dezembro de 2011

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Vem, Senhor Jesus





Foi-nos dado um filho
(Is 9,5)


(O meu Menino)


Amigos e amigas

Somos convocados para celebrar, no Natal, o mistério incompreensível de um Deus que decide tornar-se homem para salvar os homens que d’Ele se tinham afastado (e, melhor ainda, que se haviam de afastar). No entanto, Isaías, o profeta que nos ensinou que o nome do nosso Deus é Emanuel, “o Senhor connosco”, confia-nos um segredo que é, ao mesmo tempo, uma prova de amor e um desafio: Jesus, o filho da Virgem imaculada, é «um filho que nos é dado». O Filho do Pai eterno, o Verbo encarnado, o filho de Maria, é-nos dado como filho.
Somos chamados a amá-lo, cuidar dele, escutá-lo, pegá-lo ao colo, como se ama, cuida, escuta e pega num filho.
Natal é tempo da comemoração deste mistério. Mistério que a liturgia nos propõe que contemplemos, que meditemos ao longo de três semanas, em que as festas se sucedem para que o possamos saborear melhor: a natividade, a celebração da Sagrada Família, a maternidade divina, a manifestação aos pagãos, a apresentação ao povo eleito nas margens do Jordão.
Da alegria dos pastores de Belém à veneração dos magos e à prontidão dos primeiros discípulos, eis tantas outras atitudes que o Natal pode fazer brotar em nós. De qualquer modo, em primeiro lugar, é preciso acolhê-Lo como a um filho


(In: Evangelho Quotidiano)


quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

AS PEDRAS DO MEU CAMINHO








O tema da Celebração da Palavra de ontem foi “PEDRA”. Interessante porque nunca pensara antes,que tanto havia de se dizer e descobrir sobra a “pedra”, especialmente na nossa linguagem bíblica: pedra angular, aquela que os construtores rejeitaram e a pedra de arremesso.

Tocou muito. Cheguei à conclusão de que eu utilizo a pedra mais como arremesso, para me defender de quem me quer falar da verdade e da justiça, para agredir como meio de afugentar quem me quer falar de amar o inimigo ...; todas estas “pedras” são para disfarçar os meus medos, a ambição, o meu orgulho, egoísmo, auto-suficiência … porque tenho medo do sofrimento. E assim, o meu coração, longe do Senhor, fica mesmo duro, de pedra, incapaz de absorver, escutar a Sua voz.

Neste Advento, em que eu ainda descubro tanta coisa feia que há em mim, te peço Senhor, que tenhas misericórdia porque sou muito pecadora e me dês o dom da fé, para eu querer ser uma pedra angular .








Meu Deus, afasta de mim o medo das “pedras vivas”!





quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Jesus está apaixonado por ti.









Escuta o que te diz o Senhor!




Eis a voz de meu amado! Ei-lo que chega, correndo pelos montes, saltando sobre as colinas.
O meu amado é semelhante a um gamo ou a um filhote de gazela. Ei-lo que espera, por detrás do nosso muro, olhando pelas janelas, espreitando pelas frinchas.
Fala o meu amado e diz-me: Ele Levanta-te! Anda, vem daí,ó minha bela amada!
Eis que o Inverno já passou, a chuva parou e foi-se embora;
despontam as flores na terra, chegou o tempo das canções, e a voz da rola já se ouve na nossa terra;
a figueira faz brotar os seus figos e as vinhas floridas exalam perfume. Levanta-te! Anda, vem daí, ó minha bela amada!
Minha pomba, nas fendas do rochedo, no escondido dos penhascos, deixa-me ver o teu rosto, deixa-me ouvir a tua voz. Pois a tua voz é doce e o teu rosto, encantador. “




Livro de Cântico dos Cânticos 2,8-14.
(Jesus, neste Advento chama-nos uma vez mais! É tempo de acordar, de discernir! É tempo de ver os sinais do amor.)




Obrigada, senhor, pelo dom da vida.






Obrigada Senhor por teres permitido que eu nascesse
nesta Família maravilhosa, que sabiamente me soube 
transmitir a fé, os valores e princípios de vida cristã e cívica.  


terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Advento: CAMINHANDO NA ESPERANÇA!





Mensagem do Dia


Os profetas anunciaram que o Salvador havia de nascer da Virgem Maria.
A promessa cumpriu-se “HOJE”.”

Prece
Acendei em nossos corações o desejo ardente da vossa vinda e dai-nos a graça de vivermos para sempre unidos a Vós.
Vós que viestes experimentar todas as nossas enfermidades, menos o pecado, socorrei os enfermos e os que morrem (morreram) neste dia.
Vinde, Senhor Jesus.


Oração:
Senhor nosso Deus, que pela anunciação do Anjo quisestes que a Virgem Imaculada se tornasse Mãe do vosso Verbo e, envolvida na luz do Espírito Santo, fosse consagrada templo da divindade, ajudai-nos a ser humildes como Ela, para cumprirmos fielmente a vossa vontade. Por Nosso Senhor.


(In: Livro das Horas: dia 20 de Dezembro, da semana IV do Advento)


(Dedico esta mensagem ao meu Pai, Francisco Ermelindo Machado Ávila.)



segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Recordando o Sr Padre Acácio




Padre Acácio presente nas Comunidades da Terceira


Sr Pe Acácio e o Catequista Lourenço


Faz hoje quatro anos que o Sr Pe Acácio foi para o Pai, depois de ter feito com a equipa de Catequistas, as primeiras Catequeses, o Convívio Final e a formação de três Comunidades na Ilha da Terceira : S. Sebastião, Agualva e Lajes.

Sempre considerei este desaparecimento precoce, como um sinal de que o Sr Pe Acácio se dava em favor da iniciação cristã nesta Ilha, que tão rebelde tem sido à nova evangelização proposta pelo Concílio Vaticano II e tão acarinhada pelo Papa e pelo nosso Bispo.

Não o esqueceremos nas nossas orações e que interceda por nós junto do Pai.


domingo, 18 de dezembro de 2011

Eis-me aqui, Senhor!





"EIS AQUI A ESCRAVA DO SENHOR,

FAÇA-SE EM MIM SEGUNDO A TUA PALAVRA"



(camineo.info)

HOJE É O DIA DO SENHOR

IV DOMINGO DO ADVENTO


Uma Morada

Nesse advento, a Liturgia apresentou vários personagens
que prepararam os homens para a 1a vinda de Cristo.
MARIA vai ser hoje a grande companheira na caminhada.
Ela é modelo de fé e de esperança
aos que aguardam a manifestação da Salvação.

Jesus veio ao mundo para torná-lo a sua nova casa,
habitando em cada ser humano que o acolhe como Maria
ao dar o seu SIM ao anjo e se tornar o primeiro templo vivo do Salvador...

As Leituras bíblicas nos falam dessa realidade...

Na 1ª Leitura, Davi prepara uma MORADA para Deus. (2Sm 7,1-5.8b-12.14ª.16)

Davi, já idoso, mostra-se insatisfeito em morar numa casa luxuosa e
a Arca da Aliança, sinal da presença de Deus no meio do Povo,
estar numa simples tenda, debaixo de uma lona...
Por isso, deseja construir um templo. O Profeta Natã lhe diz:
"Vai e faz tudo o que tens no coração, porque o Senhor está contigo..."

Deus lhe PROMETE uma casa, uma dinastia perene...
Essa promessa se realiza plenamente em Jesus.

A 2ª Leitura é um Hino de louvor a Deus, pelo plano de salvação
por Ele preparado e que se manifestou em Jesus a todos os povos. (Rm 16,25-27)

O Evangelho mostra a realização da promessa de Deus:
MARIA, com o seu SIM, torna-se a MORADA de Jesus,
preparada pelo próprio Deus. (Lc 1,26-38)

- Israel esperava o Messias: um grande rei, forte, rico e poderoso...
Por isso olhava para Belém, a cidade natal de Davi.
- Mas o olhar de Deus não se voltou para as cidades famosas da Judéia,
mas para um povoado pobre e insignificante da Galiléia (Nazaré)...
com um DIÁLOGO entre Maria e o Anjo:

+ A Saudação do Anjo: "Alegra-te, ó amada de Deus, o Senhor está contigo."

A alegria de Maria não nasce por se tornar a futura mãe de Jesus,
mas sobretudo porque o "Senhor está com ela...", antes mesmo de conceber...

* O Senhor está conosco?
O que podemos fazer, para que ele esteja conosco?
A alegria de Natal só pode ser plena, se o Senhor estiver conosco?

+ A Proposta de Deus: "Conceberás um Filho..".
Deus a convida para ser a Mãe do Messias, que Israel tanto esperava.
Diante da dificuldade apresentada, de ainda não viver com um homem,
o Anjo lhe garante: "O Espírito Santo descerá sobre ti...
e conceberás e darás à luz um Filho..."
E como garantia, o Anjo lhe afirma que até sua prima Isabel
conceberá um filho na velhice... "porque nada é impossível para Deus..."

+ A Resposta de Maria: Diante disso, Maria dá o seu SIM:
"Eis aqui a "Serva" do Senhor,
'FAÇA-SE' (Fiat) em mim segundo a tua palavra."

* O "Faça-se" de Deus criou do nada todas as coisas...
O "Faça-se" de Maria tornou possível a Redenção...

O "Faça-se" de Maria foi a sua resposta livre e corajosa ao convite de Deus,
que esperava a colaboração dela para realizar o projeto de amor e salvação.
Maria torna-se o templo da Nova Aliança,
muito mais precioso que o templo desejado por Davi:
um templo vivo que encerra não a Arca sagrada, mas o Filho de Deus.

A História de Maria o que tem a nos dizer?

1. Deus ama os homens
e tem um projeto de vida plena para lhes oferecer, através de Jesus Cristo.

2. Maria mostra como é possível fazer Jesus nascer no mundo:
Através de um Sim incondicional aos projetos de Deus.
* Ele espera também o nosso Sim para continuar vindo ao mundo
e oferecer aos irmãos a Salvação e a Vida de Deus.

3. Maria torna-se instrumento de Deus
Um jovem "mulher" de uma desconhecida aldeia, mas disponível
em acolher e testemunhar com amor as propostas de Deus.

4. Qual a nossa resposta aos apelos de Deus?
Maria respondeu com um "sim" total e incondicional...
A exemplo dela, também devemos dar o nosso "Sim" generoso,
numa atitude de entrega total a Deus

5. Como é possível essa entrega total a Deus?
Através de uma vida de diálogo, de comunhão, de intimidade com Deus.
Maria de Nazaré foi uma pessoa de oração e de fé,
que fez a experiência do encontro com Deus e
aprendeu a confiar totalmente n’Ele.
O caminho é o mesmo ainda hoje... para todos nós...

* No meio da agitação de todos os dias,
encontramos tempo e disponibilidade para ouvir Deus,
para viver em comunhão com Ele, para tentar perceber os seus sinais?

A exemplo de Maria, digamos um SIM generoso e total ao Senhor.
E o nosso coração e a nossa família serão uma MORADA para o Salvador.

Só assim o "Senhor estará também conosco..."
e a nossa alegria nesse Natal será completa...

Pe. Antônio Geraldo Dalla Costa - 18.12.2011

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Evangelio del día




La Palabra de Dios:



En aquel tiempo dijo Jesús a los judíos: «Vosotros mandasteis enviados donde Juan, y él dio testimonio de la verdad. No es que yo busque testimonio de un hombre, sino que digo esto para que os salvéis. Él era la lámpara que arde y alumbra y vosotros quisisteis recrearos una hora con su luz. Pero yo tengo un testimonio mayor que el de Juan; porque las obras que el Padre me ha encomendado llevar a cabo, las mismas obras que realizo, dan testimonio de mí, de que el Padre me ha enviado. Y el Padre, que me ha enviado, es el que ha dado testimonio de mí».

(Jn 5,33-36)


Comentario

Hoy, los cristianos tenemos que aprender mucho de Juan el Bautista. Jesús lo compara con el fuego que quema y da luz: «Juan era la lámpara que arde y alumbra» (Jn 5,35). Su misión, como la nuestra, fue la de preparar el camino del Maestro: allanar los corazones para que sólo Cristo se luzca, anunciar que la Vida plena es posible, si seguimos a Jesucristo con fidelidad. Juan es la voz que clama en el desierto: «Preparad el camino del Señor, enderezad sus sendas» (Mt 3,3). El Hijo de Dios viene a la tierra para descansar en nuestros corazones. —Pero… en mi corazón manda mi libertad, y Él me pide “permiso” para entrar ahí: por esto, hay que “allanarle” la difícil ruta que apunta hacia el corazón humano. «Que nuestro pensamiento se disponga para la venida de Cristo con una preparación no inferior a la que haríamos si Él todavía tuviera que venir al mundo» (San Carlos Borromeo).
Hoy se nos pide aprender de san Juan. No es fácil. La renuncia, el sacrificio, el compromiso, la Verdad… no están de moda actualmente. ¿Cuántos hay que sólo se mueven por el dinero, por los placeres, por la comodidad, por la mentira…? Hay que mantener el corazón limpio y desalojado de cosas. Si no, ahí no pueden hallar espacio ni Jesús ni las otras personas.
Pero el Evangelio es camino de Vida y de felicidad. Sólo la Verdad nos puede hacer libres, aunque esto nos comporte la persecución o la muerte. Juan el Bautista ya lo había intuido, pero acepta porque ésta es su misión. Su bautismo era liberador y sus palabras —invitando a la conversión— el camino para llegar.
Jesús encuentra el camino allanado, preparado, sazonado por la penitencia del Bautista. Sus obras dan testimonio de que Él es el enviado. Encuentra ya los corazones arrepentidos y humillados gracias al testimonio de Juan. Para él, el Maestro no encuentra más que palabras de elogio.
Ojalá sean las mismas palabras para cada uno de nosotros. Sobre todo, si hemos sido capaces de señalar al Maestro, presentándolo y, a la vez, desapareciendo nosotros mismos.

Rev. D. Rafel FELIPE i Freije (Girona, España)

(pequenãs semillitas)

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

CAMINHO NEOCATECUMENAL-CELEBRAÇÃO PENITENCIAL

Comunidade de Angra: 14.12.2011





Ontem celebramos na nossa Comunidade, a Penitêncial do Advento. Acompanharam-nos os Presbíteros, Sr Pe Helder da Fonseca e o Sr Pe José Nunes.


O Senhor chamou-nos a esta Celebração, para dizer que nos ama, que nos perdoa e nos quer salvar. Exorta-nos a abrirmos o coração e a deixar penetrar o “orvalho” que vem do alto.

Por que é que um Deus todo poderoso, Criador do céu e da terra, desce até mim que nada sou, para me levantar das trevas do orgulho e da auto-suficiência?

De facto, eu não sou capaz de “medir” o AMOR de Deus que é a Sua essência! Sei que apenas está no meu querer aceitar ou não este Amor que renova, que é luz no meu caminho, que é consolo para a minha alma e que representa sacrifício, desprendimento, mudança de atitudes e comportamentos, mas que vale a pena passar pela “morte”, para depois ressuscitar para a Vida Eterna.



Louvai o Senhor

Povos todos da terra

Nações, dai-Lhe glória!”



TEM UM BOM DIA



Advento: CAMINHANDO NA ESPERANÇA!




Mensagem do Dia



Desça o orvalho do alto dos céus e as nuvens chovam o Justo. Abra-se a terra e germine o Salvador.” Is 45,8


Prece

Senhor Jesus, que sois a fonte da santidade, conservai-nos santos e irrepreensíveis para o dia da vossa vinda.


Oração:

Senhor, a consciência das nossas culpas entristece-nos e faz-nos sentir que somos servos indignos: dai-nos de novo a alegria e salvai-nos com a vinda de vosso Filho, Nosso Senhor Jesus Cristo, Ele que é Deus convosco na unidade do Espírito Santo.



(In: Livro das Horas: quinta-feira da semana 1II do Advento)


quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Palavra de Vida – mês de Dezembro




“Preparai o caminho do Senhor, endireitai as veredas para Ele.”



Neste período do Advento, eis aqui uma nova “palavra” que somos convidados a viver. O evangelista Lucas toma-a de Isaías, o profeta da consolação. Para os primeiros cristãos, ela era referida a João Batista, que precedeu Jesus.

E a Igreja, nessa época que antecede o Natal, ao apresentar-nos justamente o Precursor, convida-nos à alegria, porque o Batista é como um mensageiro que anuncia o Rei. Com efeito, esse Rei está para vir. Aproxima-se o tempo em que Deus realiza suas promessas, perdoa os pecados, doa a salvação.

“Preparai o caminho do Senhor, endireitai as veredas para Ele.”

Mas se, por um lado, essa frase fala de alegria, por outro, ela é também um convite para darmos um novo rumo a toda a nossa existência, para mudarmos radicalmente de vida.

O Batista convida-nos a preparar o caminho do Senhor. Mas qual é esse caminho?

Antes de sair à vida pública para iniciar a sua pregação e anunciado pelo Batista, Jesus passou pelo deserto. É esse o seu caminho. E no deserto, ao mesmo tempo em que encontrou a profunda intimidade com seu Pai, encontrou também as tentações, tornando-se assim solidário com todos os homens. E de lá saiu vencedor. É o mesmo caminho que encontramos mais tarde, na sua morte e ressurreição. Tendo-o percorrido até o fim, Jesus torna-se, Ele próprio, “caminho” para nós que estamos peregrinando.

Ele mesmo é o caminho que devemos percorrer para podermos realizar completamente a nossa vocação humana, que é entrar na plena comunhão com Deus.

Cada um de nós é chamado a preparar o caminho para Jesus, que deseja entrar na nossa vida. É preciso, então, aplainar as veredas da nossa existência para que Ele possa vir habitar em nós.

É preciso preparar-lhe o caminho, eliminando um a um todos os obstáculos: tanto os que são colocados pelo nosso modo limitado de ver, quanto os que provêm da nossa vontade enfraquecida.

É preciso ter a coragem de optar entre um caminho que nos agrade e aquele que Ele escolheu para nós; entre a nossa vontade e a vontade Dele, entre um programa desejado por nós e aquele que foi imaginado pelo seu amor onipotente.

Uma vez tomada essa decisão, é preciso trabalhar para moldar a nossa vontade teimosa de acordo com a Dele.

De que forma? Os cristãos realizados ensinam um método bom, prático, inteligente: “agora, já”.

No momento presente, eliminar pedra após pedra, para que em nós viva não mais a nossa vontade, mas a Dele.

Desse modo teremos vivido a Palavra:

“Preparai o caminho do Senhor, endireitai as veredas para Ele.”



Chiara Lubich


terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Dê a voz pela DPOC



Aconteceu na Gare do Oriente. Fantástico!

(Enviado pela Conceição)

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011

"Tota Pulchra es, Maria"



Peça de Frei Alessandro Boroni, OFMConv.

(In: Blogue Marta Júlia Maria)

O NATAL DA NOSSA CATEQUESE – 2011

QUEREMOS SER,

A VOZ DO QUE ANUNCIA O NASCIMENTO DE JESUS


Quero realçar a nossa Festa de Natal da Catequese que realizámos neste domingo da Alegria, porque fizemo-la com muita alegria, sem preconceitos e no final a mensagem ficou, que era esse o nosso objectivo.

O “Auto” foi apresentado em quatro “temas”: Anunciação do Anjo a Maria; Nascimento de Jesus; Anúncio do Anjo aos Pastores; a Visita dos Reis Magos.

Os textos foras os da Bíblia, adaptados a diálogo.

Nos adereços, preocupámo-nos apenas com uma marca-identificação do “personagem”.

Debatemos cada tema, cantámos, rezámos e saímos alegres, tal como nos sugeria a Liturgia deste domingo, com o propósito de sermos a Voz, como a de João Baptista.

Algumas fotos:













“OS CAMINHOS DA RELIGIÃO”



Aconteceu no último sábado uma mesa redonda coordenada pelo Sr Pe Helder da Fonseca, subordinada ao tema supramencionado. Foi organizada pelo Museu de Angra e contou com a presença dos seguintes oradores: Sr Pe Adriano Borges, Sr Pe Helder e Dr Mário Cabral.


Um pouco de História sobre o conceito de Santidade, sobre os Santos como modelos a seguir; o Belo-Bom-Justo-Verdadeiro na nossa religiosidade, realidades concretas que devem coexistir em cada criatura humana; por fim foram-nos apresentadas questões sobre o Seminário de Angra, “escola” de Padres para o século XXI.



ANÚNCIO DO ADVENTO-2011

CAMINHO NEOCATECUMENAL






No passado dia 7 de Dezembro os nossos Catequistas estiveram na Ilha Terceira a proclamar o Anúncio do Advento, com as quatro Comunidades do Caminho Neocatecumenal.


Foi com muita alegria que nos comunicaram que o Santo Padre já promulgou os “procedimentos” que usamos na Liturgia seguida pelo Caminho, isto quer dizer que as Celebrações, tal qual as praticamos, são aceites integralmente pela Santa Sé. Estou a referir-me à Eucaristia, Palavra, Penitêncial, Vigília Pascal, Convívio mensal e outras.

No próximo mês de Janeiro está prevista uma Celebração de Acção de Graças por mais esta Misericórdia do Senhor.


A Catequese propriamente dita foi baseada na Carta aos Hebreus, capítulos 3 a 5.


Algumas datas foram avançadas quanto a novas Catequeses e à realização de “Passos” a terem lugar no primeiro trimestre do próximo ano.



domingo, 11 de dezembro de 2011

Hoje é o dia do Senhor

3º Domingo do Advento



"Alegrai-vos"


O Natal se aproxima e a Liturgia é um convite à alegria

porque o Senhor já está no meio de nós.

É o "DOMINGO DA ALEGRIA" (Gaudete)


A 1ª Leitura é uma declaração de ALEGRIA,

pela "boa notícia" de salvação, prometida por Deus. (Is 61,1-2ª.10-11)


- Esse trecho é o "Magnificat" do Antigo Testamento,

é a expressão de um povo, que acredita na renovação, porque Deus está aí.

- Os retornados do exílio estão desanimados e sem esperança,

pela frieza e hostilidade com que foram recebidos pelos habitantes de Jerusalém.

O povo espera dias melhores para breve.

- E o Profeta anuncia ao povo oprimido a "boa notícia" da plena restauração

da paz e da justiça e um ano de graça (jubilar) para restaurar a harmonia.

- O Povo reage agradecido numa atitude de louvor e alegria.


* A descoberta do amor e da presença libertadora de Deus

sempre conduz ao louvor, à adoração, à alegria.


Na 2ª Leitura, Paulo exorta à ALEGRIA:

"Sede sempre alegres". (1Ts 5,16-24)


O texto ensina onde nasce a verdadeira alegria:

- Da oração: "rezai sem cessar, dai graças";

- Da abertura do coração aos apelos do Espírito:

- Uma vida moral irrepreensível.

* O que é a alegria para você? Réveillon num restaurante cinco estrelas?

A alegria cristã não é uma atitude passageira de festas humanas,

mas um estado permanente, de quem confia que a vida cristã

é uma caminhada ao encontro do Senhor que vem.

A Alegria é um dos sinais da presença de Deus no coração de uma pessoa.


No Evangelho João Batista dá o grande motivo da ALEGRIA:

"Já está no meio de vós aquele que ainda não conheceis..." (Jo 1,6-8.19-28)


O texto apresenta inicialmente João Batista, "enviado por Deus"

com uma MISSÃO concreta: "Dar testemunho da Luz".


- Essa "Luz" está no mundo, mas o mundo não a conhece.

É preciso querer descobri-la, dilatando nosso coração em alegria.

Lembrando a vinda de Jesus ao mundo,

celebramos a presença discreta de Deus em nossa história.


Na segunda parte, temos o "Testemunho de João" sobre sua pessoa:

Afirma não ser o Messias, nem Elias, nem o "Profeta"...

É apenas a "VOZ" que clama no deserto,

convidando os homens a prepararem o caminho do Senhor...

É a "voz" que aponta para a única luz que vale a pena seguir: a de Jesus Cristo.


Essa "Voz" nos convida a olhar para NÓS

e ver o que nos afasta do reto caminho do Senhor.

- Quais as trevas que devemos abandonar, para deixar essa "Luz" brilhar?

- Quais os obstáculos que nos impedem de andar nos caminhos retos de Deus?


Essa "Voz" nos convida a olhar para JESUS,

pois só Ele é a "Luz" que ilumina o caminho...

Deus iniciou a Criação, criando a LUZ e dissipou as trevas.

Dela surgiu tudo o que existe. Ela é a vida dos homens.


* Jesus é a Luz, que ilumina as nossas ações?

- Quando celebro o nascimento de Jesus, celebro um fato do passado,

ou celebro o encontro atual com alguém que é a "Luz"

que ilumina a minha vida e a enche de paz e de alegria?


A Missão de João Batista é hoje a nossa missão:

abrir caminhos para a chegada do Messias,

que é a luz das nações.

Ser uma "voz" que clama no deserto,

anunciando o Cristo presente no meio de nós...

- A "Voz" não tem rosto, é anônima. Ela passa despercebida,

transmite a mensagem e depois desaparece...

- Que espécie de "Voz" somos nós?

- Quais os desertos, nos quais devemos clamar?

(na família... na escola... no trabalho... na sociedade...)


DUAS ATITUDES OPOSTAS AO CRISTO QUE VEM:


A atitude humilde de João:

Ele não usa a missão para a sua promoção pessoal;

ele é apenas uma "voz" anônima e discreta

que recorda, na sombra, realidades importantes.


* Em nossas atividades, somos discretos e simples,

de modo que as pessoas não vejam a nós,

mas a mensagem que apresentamos?


A atitude orgulhosa dos fariseus:

Fechados em sua auto-suficiência, não reconheceram a "Luz".

Se fecharmos o coração à novidade e aos desafios que Deus nos faz,

também nós não o reconheceremos.

E ele continuará procurando lugar onde possa nascer...


A alegria que os anjos anunciaram em Belém aos homens de boa vontade

é possível também para nós...

desde que nos deixemos iluminar por essa Luz.


Assim a nossa alegria será um testemunho muito forte

de que Cristo já está no meio de nós.


Pe. Antônio Geraldo Dalla Costa - 11.12.2011