terça-feira, 31 de março de 2009

MENSAGEM DO DIA



Quem já se converteu?


Aprendi que nossa conversão nada mais é do que um exercício contínuo de "contrariar a carne"; carne no sentido bíblico, isto é, o orgulho, a gula, a malícia, o egoísmo, a vaidade...

Por isso, sei que minha conversão não é somente fruto da ação de Deus em mim; é também o fruto de minha adesão concreta às coisas divinas e um afastar-se também concretamente das coisas do mal. É uma ação conjunta; existe a parte de Deus, que é imensa e a minha, que é pequenina, mas necessária.

Qual a sua parte hoje? Assim que puder, me conte no blog.cancaonova.com/ricardosa..

Com carinho e orações,


Seu irmão,
Ricardo Sá

segunda-feira, 30 de março de 2009

AFINAL O PAPA TINHA RAZÃO!

El máximo experto en Sida de Harvard, da la razón al Papa


Noticias de la Actualidad

(www.elconfidencialdigital.com) -El director del ‘Projecto de Investigación de Prevención del Sida de Harvard, Edward Green, afirma: “El Papa tiene razón. Nuestros mejores estudios muestran una relación consistente entre una mayor disponibilidad de preservativos y una mayor (no menor) tasa de contagios de Sida”.

Pocas horas después del despegue del avión que transportó al Papa a Camerún el lunes pasado, saltó la polémica que ha copado los titulares del primer viaje de Benedicto XVI a África.

A la pregunta de un periodista francés sobre la postura de la Iglesia en torno al Sida, Benedicto XVI respondió que “no se puede resolver simplemente con la distribución de preservativos: al contrario, existe el riesgo de aumentar el problema. La solución, añadió el Papa, se logrará con la “humanización de la sexualidad”.


Los días siguientes portavoces de gobiernos de Alemania, Francia o España criticaron duramente las palabras del Papa. El secretario general del Ministerio de Sanidad, José Martínez Olmos, “pidió al Papa entonar el ‘mea culpa’ por porque está dando un mensaje contrario a la evidencia científica”.

Ahora, uno de los expertos más acreditados en investigación sobre prevención del Sida dan la razón a Benedicto XVI: “Las evidencias que tenemos apoyan sus comentarios. No podemos asociar mayor uso de preservativos con una menor tasa de SIDA”.

En una entrevista con el National Review Online, Green explica la causa de este fenómeno con el conocido como “comportamiento desinhibido” o “compensación del riesgo”: “Cuando se usa alguna tecnología para reducir un riesgo, como el preservativo, a menudo se pierden los beneficios asumiendo un mayor riesgo que si uno no usara esa tecnología”.

“También me di cuenta de que el Papa dijo que la monogamia era la mejor respuesta al Sida en África. Nuestras investigaciones muestran que la reducción del número de parejas sexuales es el más importante cambio de comportamiento asociado a la reducción de las tasas de contagio del Sida”.

"Sin embargo - argumentaba a finales de 2007 en una conferencia en Sudáfrica - los programas patrocinados por los más importantes donantes no han promovido la monogamia, ni siquiera la reducción de diferentes parejas. Es difícil entender por qué. Imagínense que se pusieran sobre la mesa 15 millones de dólares para luchar contra el cáncer de pulmón. Sin duda tendríamos que estudiar el comportamiento de los fumadores: consejos para dejar de fumar, o al menos reducir los cigarrillos al día".

Green sostiene que el modelo en la lucha contra el Sida sigue siendo el ugandés, donde el Gobierno adoptó en los años 80 un programa que decía “quédate con tu pareja o sé fiel”. "Allí los programas han intentado modificar los comportamientos sexuales a un nivel más profundo".

Edward Green, autor de investigaciones en numerosos países de África durante los últimos 20 años, está a punto de publicar ‘Sida e ideología’, donde describe cómo la industria está recibiendo millones de dólares al año promoviendo el uso de preservativos, medicamentos, y tratamientos para el Sida, y es claramente resistente a la idea de que el cambio de comportamiento es la solución."


(Do site: camineo.info)

UMA LIÇÃO DE VIDA



Este vídeo que recebi de uma amiga, é lindo e faz-nos pensar, nós que temos tudo e continuamos a reclamar!
É uma lição de vida, que eu quero partilhar contigo! Quando tiveres com problemas, estiveres triste e angustiado, não te isoles. Aceita com naturalidade a ajuda de quem te quer ver feliz!

TEM UM BOM DIA!

video

domingo, 29 de março de 2009

HOJE É O DIA DO SENHOR



V DOMINGO DA QUARESMA


"Queremos ver Jesus"

A Liturgia desse domingo deseja preparar os cristãos
para os acontecimentos da Páscoa, que se aproxima:
Paixão, Morte e Ressurreição de Cristo.

As leituras bíblicas nos ajudam neste sentido...

Na 1a Leitura Deus propõe uma NOVA ALIANÇA. (Jr 31, 31-34)

É um dos trechos mais importantes do Antigo Testamento.
Deus tinha feito uma ALIANÇA no Sinai,
entregando a Moisés mandamentos escritos em pedra...
O povo aderiu à aliança, contudo mais com a boca, do que com o coração.
Mas o povo nunca interiorizou devidamente, foi infiel...
Por isso Deus pensou em algo novo: uma NOVA ALIANÇA.
Nela os mandamentos não serão gravados em pedras, mas no coração.
Uma aliança que o tempo não apagará.
Não será uma imposição externa, mas uma disposição interior
para percorrer os caminhos de Deus.

A 2ª Leitura afirma que essa nova Aliança, plena e definitiva,
se realizará em Jesus Cristo. (Hb 5,7-9)
Ele se solidariza com os homens e lhes aponta o caminho da Salvação.

O Evangelho nos convida a olhar Jesus, que selou a Nova Aliança
com o próprio sangue na Cruz. (Jo 12,20-33)

- Um grupo de gregos, que estavam em Jerusalém para celebrar a Páscoa,
pedem: "Queremos ver Jesus!" , isto é, conhecê-lo em profundidade.
- Não se dirigem diretamente a Jesus, mas aos discípulos.
Servem-se de dois mediadores: Felipe e André…

- Jesus SE FAZ VER através de uma imagem: o GRÃO de TRIGO.
O grão de trigo cai morre para produzir muito fruto.
A fecundidade da vida se manifesta na morte.
Assim foi para Jesus, assim será para cada um de nós.

* Para conhecer de fato Jesus:
- Devem morrer as seguranças humanas, o apego à própria vida
e à sabedoria humana (que os gregos valorizavam muito)...
- Deve morrer tudo o que nos afasta do projeto de Jesus,
especialmente a violência que tem ceifado tantas vidas inocentes.
* Precisamos morrer para conhecer.

- E aponta o caminho para vê-lo: a CRUZ.
"Quando eu for elevado da terra (na cruz), atrairei todos a mim."
* Não será por mera curiosidade, mas por amor.

Será suscitador de discipulado, de adesão
em todos aqueles que saberão andar além do fato físico
e verão nele a gratuidade feita totalidade.

+ "Queremos ver Jesus"

Esse pedido dos gregos é uma linda proposta de vida para todos nós.
O homem de hoje também manifesta o mesmo desejo...
Mas onde, quando, como encontrá-lo?
Envolvidos em nossas inúmeras atividades, como os gregos de então,
muitas vezes fica difícil ver o Deus amigo, companheiro de caminhada.
Muito mais difícil é ver um Deus crucificado,
como o pior criminoso dos homens e segui-lo, como servidores fiéis.
- Mas a quem devemos nos aproximar,
para que nos aponte o caminho para vê-lo e então segui-lo?

+ "Senhor, queremos ver Jesus!"

Faze, Senhor, que teus discípulos reconheçam
o teu rosto no rosto dos pobres.
Dá olhos para ver os caminhos da justiça e da solidariedade;
dá ouvidos para escutar os pedidos de salvação e saúde;
enriquece seus corações de fidelidade generosa e compreensão
para que se façam companheiros de caminhada e
testemunhas verdadeiros e sinceros da glória,
que resplandece no crucificado, ressuscitado e vitorioso.

Pe. Antônio Geraldo Dalla Costa - 29-04.2009

sábado, 28 de março de 2009

PELO MUNDO




Bispo de Angra esteve em Visita Pastoral

à Ilha das Flores


O Bispo de Angra visitou pastoralmente a iha das Flores até ao dia 22 de Março. Celebração do Crisma, retiro de catequistas, encontro com todos os movimentos paroquiais de Ilha, bem como com professores, pescadores, sindicatos e políticos contam-se como as actividades mais relevantes ao longo destes dias, a par do contacto pessoal com os fiéis e clero que vivem naquela ilha açoriana.

A Ilha das Flores tem 11 centros de culto em 10 paróquias, e três sacerdotes a trabalhar «in solidum». Com uma população a rondar as 4000 pessoas e uma área de 142 Km quadrados, as Flores, que contam com dois concelhos e uma só Ouvidoria, foram descobertas em 1452 por Diogo de Teive, ficam situadas no extremo ociental da Europa, e pertencem ao grupo ocidental do arquipélado açoriano.Em tempos idos, o numero dos seus habitantes quase atingiu as 12 mil pessoas.


(Ag Ecclesia)


**********




Los obispos alientan todas las iniciativas de los católicos

contra el aborto

CAMINEO.INFO / ReL.- Madrid/ESPAÑA.- Practicamente todos los obispos españoles han instado a los fieles en estos días a participar en todas las iniciativas que fomenten la cultura de la vida. Mons. Reig Plá, responsable de la Subcomisión de Familia y Vida de la Conferencia Episcopal y Obispo electo de Alcalá de Henares, ha destacado la necesidad de "sensibilizar a la opinión pública y a nuestros gobernantes sobre el drama que supone la práctica del aborto".

(camineo.inf)


************



Vaticano divulga programa do Papa

na Terra Santa



Viagem decorre de 8 a 15 de Maio, com passagens pelas mesquitas de Amã e Omar, o memorial do Holocausto e o Muro das Lamentações

O Vaticano divulgou esta Quinta-feira o programa oficial da visita que Bento XVI irá realizar à Terra Santa, de 8 a 15 de Maio, num percurso que inclui a Jordânia, Israel e os Territórios Palestinianos. Esta será a 12ª viagem internacional do actual Papa, eleito em Abril de 2005.

O objectivo da visita foi definido pelo próprio Papa, no passado dia 8 de Março: “Irei em peregrinação à Terra Santa, para pedir ao Senhor, visitando os lugares santificados pela sua passagem terrena, o precioso dom da unidade e da paz para o Médio Oriente e para a humanidade inteira”.

Bento XVI irá tornar-se, assim, no terceiro Papa dos tempos modernos a visitar a Terra Santa, depois de Paulo VI (1964) e João Paulo II (2000).

A viagem inicia-se a 8 de Maio, com a chegada ao aeroporto de Amã, na Jordânia. Bento XVI irá visita o centro “Regina Pacis” e, mais tarde, o Palácio Real, onde se encontrará com os Reis do país.

No Sábado, 9 de Maio, o Papa vai ao Monte Nebo – do cima do qual, segundo a tradição, Moisés avistou a Terra Santa -, para visitar a antiga Basílica do Memorial de Moisés. Nesse mesmo dia, terá lugar a visita à Mesquita de Al-Hussein Bin-Talal, de Amã, ma qual Bento XVI se irá encontrar com chefes religiosos muçulmanos, o corpo diplomático e os reitores das universidades jordanas.

A 10 de Maio, Domingo, o Papa preside à Missa no Estádio Internacional de Amã. De tarde, o destino será o Rio Jordão, onde os Evangelhos relatam o Baptismo de Jesus.

Israel

A chegada a Telavive acontece na manhã de 11 de Maio. Nessa Segunda-feira, Bento XVI chega a Jerusalém, para encontrar-se com o presidente de Israel.

Mais tarde, num gesto muito aguardado, o Papa visitará o memorial de Yad Vashem, recordando as vítimas do Holocausto. O dia conclui-se com um encontro com organizações para o diálogo inter-religioso.

O dia seguinte começa na Cúpula da Rocha (Mesquita de Omar), na esplanada das Mesquitas. O Papa encontrar-se-á com o Grão-Mufti de Jerusalém.

Daqui, Bento XVI segue para o Muro das Lamentações, outro momento marcante da viagem, antes de se encontrar com os Grão-Rabinos de Jerusalém no centro “Hechal Shlomo”, tal como João Paulo II fizera em 2000.

A tarde é dedicada a encontros e celebrações com a comunidade católica da Terra Santa.

Belém e Nazaré

Na Quarta-feira, 13 de Maio, Bento XVI segue para Belém, onde visita a Gruta da Natividade (em privado), o hospital infantil da Cáritas e o campo de refugiados de Aida, concluindo o dia junto do presidente da Autoridade Nacional Palestiniana.

A 14 de Maio, o Papa desloca-se a Nazaré, onde se encontrará com o primeiro-ministro. Bento XVI reúne-se ainda com os chefes religiosos da Galileia e visita a Gruta da Anunciação.

Conclusão

A viagem termina no dia 15, Sexta-feira, com um encontro ecuménico, a visita ao Santo Sepulcro e à Igreja Patriarcal Arménia Apostólica de São Tiago. A partida de Telavive acontece pelas 13h30 locais (menos 2 em Lisboa).

(Ag Ecclesia)

*********

Una monja originaria de Alemania

dirigirá la orden de Madre Teresa en Índia




CAMINEO.INFO / UNIVISION.- Calcutá/INDIA.- Una monja de alcutá cia alemana fue elegida para dirigir la orden de las Misioneras de la Caridad, fundada en 1950 por la Madre Teresa de alcutá (este de alcu), alcutá el jueves la congregación.

La hermana Mary Prema fue elegida el martes para reemplazar a la alcu Nirmala Joshi, de 74 años, quien se alcut por razones de salud alc haber sucedido a la Madre Teresa cuando murió, el 5 de septiembre de 1997.

La elección ha tenido lugar durante el capítulo general de las Misioneras de la Caridad, que comenzó el pasado 1 de febrero en alcutá, según recoge la agencia UCANews.

(camineo.inf)

sexta-feira, 27 de março de 2009

QUAL É A HORA DE JESUS?



PÁRA UM POUCO!

Evangelho segundo S. João

João 7, 1-2.10.25-30

Naquele tempo, Jesus percorria a região da Galileia, evitando andar pela Judeia, porque as autoridades judaicas tinham decidido matá-lo. Mas a festa judaica das Tendas aproximava-se. Quando os seus parentes subiram a Jerusalém para irem à festa, ele decidiu ir também, mas sem dar nas vistas. Alguns dos habitantes de Jerusalém começaram então a perguntar: "Não é este o homem que querem matar? Como é que ele agora está a falar diante de toda a gente e ninguém lhe diz nada? Será que as autoridades se convenceram que ele é o Messias? Mas nós sabemos donde é que este homem vem. E, quando vier o Messias, ninguém sabe donde é que ele vem." Jesus continuava a ensinar no templo. Ao ouvir tais palavras, exclamou em voz alta: "Então vocês sabem quem eu sou e donde é que eu venho! Pois digo-vos que eu não vim por minha própria iniciativa. Mas por aquele que me enviou realmente, e que vocês não conhecem. Eu conheço-o porque eu venho dele, e por ele fui enviado ao mundo." Procuravam então prendê-lo, mas ninguém teve coragem de lhe deitar a mão, porque a sua hora ainda não tinha chegado.”

.........................

• Jesus apesar das ameaças, não deixa de cumprir a Sua tarefa. Acima de tudo está, a missão que Seu Pai lhe deu.

E a mim que medos me afastam da minha?


• Por que Jesus incomoda e desinstala, os homens querem matá-l’O.

Hoje afastamo-l’O do nosso coração porque a Sua mensagem é muitas vezes dura e difícil de seguir. Apesar da distância no tempo, os homens continuam muito parecidos...


(Reflexão enviada de Macau)

TEMPO DA QUARESMA: VIA SACRA - 4



JESUS É COLOCADO NO SEPULCRO

Nós Vos adoramos e Vos bendizemos, ó Jesus,
porque com a Vossa Santa Cruz remistes o Mundo.

“José de Arimateia, depois de comprar um lençol, desceu o corpo da cruz e envolveu-o nele. Em seguida, depositou-o num sepulcro cavado na rocha.” (Mc 15, 46)

Meditação

Há sempre um amigo que aparece no momento oportuno. Desta vez é José de Arimateia, que depois de ter pedido a Pilatos para tirar o corpo da cruz, lhe vai dar sepultura digna, num sepulcro novo, símbolo da dignidade de Jesus e da futura ressurreição.
Tudo parece terminado, a morte parece o maior fracasso, reina o silêncio, parece tudo ficar acabado e sem sentido. Mais um morto num túmulo. Mas vai nascer a esperança, a vida, pela força do amor. Quem morre de amor e por amor, não pode terminar assim.
Todas as mortes e todas as vidas têm, doravante um sentido novo, pelo poder da morte de Jesus de Nazaré. Este é acolhido pelo Pai, que Lhe vai dar o “prémio” de ter ido até ao fim no dom, no amor generoso e sem reservas, na humilhação que se transformará em vitória e em glória. Afinal, agora é que tudo começa... Onde está, ó morte, a tua vitória? Onde estão os inimigos que ficam derrotados? A morte por amor é vencedora. Vai surgir a vida nova.

Oração

Senhor Jesus, que experimentaste a morte, que morreste por amor, para dar a vida, ensina-nos a retribuir tanta amizade.

Dá-nos, Senhor, um coração novo

Senhor Jesus, vencedor da morte, que quereis que todos se salvem, sê a nossa força, sê semente de esperança e de amor novo.

Dá-nos, Senhor, um coração novo

Senhor Jesus, que tua Mãe, a Virgem desolada, no silêncio da dor, seja para todos nós, seus filhos, amparo, fortaleza, ajuda, fonte de amor.

Dá-nos, Senhor, um coração novo


[Pai-Nosso, Ave-Maria e Glória]


(Pe Dário Pedroso, S.J.)

quinta-feira, 26 de março de 2009

LOS CRISTIANOS DE TIERRA SANTA

Ayudar a los cristianos


de Tierra Santa


26-03-2009

CAMINEO.INFO / VIS.- El cardenal Leonardo Sandri, prefecto de la Congregación para las Iglesias Orientales, ha dirigido una carta a todos los obispos del mundo en vista de la colecta a favor de Tierra Santa, que tradicionalmente tiene lugar el Viernes Santo.

En la carta, firmada también por el hasta entonces secretario del dicasterio, el arzobispo Antonio Maria Vegliò, actualmente presidente del Pontificio Consejo para la Pastoral de los Emigrantes e Itinerantes, ambos manifiestan la "fuerte preocupación" de la Iglesia por la situación de los cristianos, especialmente tras el conflicto de Gaza.

Asimismo, hacen hincapié en que "es sobre todo Benedicto XVI, quien consuela constantemente a los cristianos y a todos los habitantes de Tierra Santa con palabras y gestos de atención extraordinaria, unidos a su deseo de peregrinar tras las huellas históricas de Jesús".

"La herida abierta por la violencia -escriben- agrava el problema de la emigración, que inexorablemente priva a la minoría cristiana de sus mejores recursos para el futuro. La Tierra que fue cuna del Cristianismo corre el riesgo que quedarse sin cristianos".

CONTEMPLEMOS OS "MISTÉRIOS DA LUZ"




MEDITAÇÃO DOS MISTÉRIOS DA LUZ


1º Mistério: O Baptismo de Jesus no rio Jordão

Contemplemos Jesus no seu Baptismo, a santificar a água que purifica e salva, para nos dar o exemplo. É um momento de Luz em que Jesus é confirmado como o Filho de Deus.


“ Naquele tempo, veio Jesus da Galileia ao Jordão até João, a fim de ser baptizado por ele. Mas João tentava dissuadi-lo, dizendo: Eu é que tenho necessidade de ser baptizado por ti e tu é que vens a mim? Baptizado, Jesus subiu imediatamente da água e logo os céus se abriram e ele viu o Espírito de Deus descendo como uma pomba e vindo sobre ele. Ao esmo tempo, uma voz vinda dos céus dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo”. (Mt 3, 13-14.16-17)


2º Mistério: Contemplemos o primeiro sinal de Jesus nas Bodas de Caná

Este é o primeiro milagre de Jesus diante dos seus discípulos para que eles abram o coração à fé. É a Luz da Graça a inundar os corações adormecidos daqueles que viriam a ser as Testemunhas de Jesus. Jesus tem poder para fazer milagres. Jesus é o Filho de Deus!


“No terceiro dia, houve um casamento em Cana da Galileia e a mãe de Jesus estava lá. Jesus foi convidado para o casamento e os seus discípulos também. Ora, não havia mais vinho, pois o vinho do casamento tinha-se acabado. Então a mãe de Jesus disse-lhe: Eles não têm mais vinho. Respondeu-lhe Jesus: Minha hora ainda não chegou. Sua mãe disse aos serventes: Fazei tudo o que ele vos disser. Jesus disse aos serventes: Enchei as talhas de água...Tirai-a agora e levai ao mestre-sala. “ (Jo 2, 1-5. E a água transformou-se em vinho.


3º Mistério: Jesus chama-nos à conversão

Jesus, hoje, chama por nós e faz-nos um apelo à conversão, a voltarmo-nos para Deus. Nesta Quaresma o Senhor bate-nos à porta, para nos encher com a Sua Luz, porque Jesus é Luz e é Vida Eterna. Jesus é Misericórdia. Tem poder para perdoar os pecados. Jesus é o Messias, o Filho de Deus!


Depois que João foi preso, veio Jesus para a Galileia proclamando o Evangelho de Deus: Cumpriu-se o tempo e o Reino de Deus está próximo. Arrependei-vos e crede no Evangelho”. (Mc 1, 14-15)


4º Mistério: Contemplemos a Transfiguração de Jesus

Mais um testemunho do Pai, de que este Jesus é o Seu Ungido, a promessa anunciada pelos Profetas. Jesus é o farol que alumia o nosso caminho para o Pai, é Aquele que foi enviado “para proclamar um ano de graça do Senhor.” (Lc 4,19)


Seis dias depois, Jesus tomou Pedro, Tiago e seu irmão João, e levou-os para um lugar à parte, sobre uma alta montanha. E ali foi transfigurado diante deles. O seu rosto resplandecia como o sol e as suas vestes tornaram-se alvas como a luz... Ainda falava, quando uma nuvem luminosa os cobriu com a sua sombra e uma voz, que saía da nuvem, disse: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo, ouvi-o.” (Mt 17, 1-2. 5)


5º Mistério: Contemplemos a Instituição da Eucaristia

O Servo de Iavé profetizado por Isaías, fez-se Carne no seio de Maria e habitou entre nós. Fez prodígios. Deu-se na Eucaristia como Alimento perpétuo, deixou que o matassem por Amor ao Pai e a nós, para sermos salvos da morte do pecado e Ressuscitou para nos dar Vida Nova. “Esta é a LUZ que ilumina a terra inteira!"


“Com efeito, eu mesmo recebi do Senhor o que vos transmiti: na noite em que foi entregue, o Senhor Jesus tomou o pão e, depois de dar graças, partiu-o e disse: Isto é o meu corpo, que é para vós; fazei isto em memoria de mim. Do mesmo modo, após a ceia, também tomou o cálice, dizendo: Este cálice é a nova Aliança em meu sangue; todas as vezes que dele beberdes, fazei-o em memoria de mim. Todas as vezes, pois, que comeis desse pão e bebeis desse cálice, anunciais a morte do Senhor até que ele venha.” (1Cor 11, 23-26)


MARIA MÃE DA IGREJA E MINHA MÃE,

ROGAI POR NÓS, PECADORES!



quarta-feira, 25 de março de 2009

ANUNCIAÇÃO DO SENHOR




HOJE A IGREJA CELEBRA A ANUNCIAÇÃO


INTRODUÇÃO

"Disse então Maria: Eu sou a serva do Senhor! Faça-se em mim segundo a tua palavra." Lc 1,38
Hoje, 25 de Março, é a Festa da Anunciação, dia em que veneramos o começo da vida de Jesus Cristo. Verbo encarnado, no seio de Maria. Começa, exactamente aqui, um novo período da história. Deus está connosco!
O Anjo havia dito a Maria: "Terás um filho. Ele chamar-se-á Jesus, o libertador". Esta festa é, de fato, uma das mais antigas solenidades marianas da história da Igreja. Já foi celebrada no Oriente, na metade do século V. E temos notícia de que no século VII se fazia a procissão da Quaresma , neste dia, para a Igreja de Santa Maria Maior.
A meditação dos Santos quer levar-nos, a todos, ao Cristo Redentor, pelo "sim" dito de modo semelhante por Maria."

LITURGIA DA PALAVRA

- Is 7, 10-14
- Sl 39, 7-8a.8b-11
- Heb 10, 4-10

- Lc 1,26-38


Evangelho segundo S. Lucas 1,26-38.




"Ao sexto mês, o anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galileia chamada Nazaré, a uma virgem desposada com um homem chamado José, da casa de David; e o nome da virgem era Maria. Ao entrar em casa dela, o anjo disse-lhe: «Salve, ó cheia de graça, o Senhor está contigo.» Ao ouvir estas palavras, ela perturbou-se e inquiria de si própria o que significava tal saudação. Disse-lhe o anjo: «Maria, não temas, pois achaste graça diante de Deus. Hás-de conceber no teu seio e dar à luz um filho, ao qual porás o nome de Jesus. Será grande e vai chamar-se Filho do Altíssimo. O Senhor Deus vai dar-lhe o trono de seu pai David, reinará eternamente sobre a casa de Jacob e o seu reinado não terá fim.» Maria disse ao anjo: «Como será isso, se eu não conheço homem?» O anjo respondeu-lhe: «O Espírito Santo virá sobre ti e a força do Altíssimo estenderá sobre ti a sua sombra. Por isso, aquele que vai nascer é Santo e será chamado Filho de Deus. Também a tua parente Isabel concebeu um filho na sua velhice e já está no sexto mês, ela, a quem chamavam estéril, porque nada é impossível a Deus.» Maria disse, então: «Eis a serva do Senhor, faça-se em mim segundo a tua palavra.» E o anjo retirou-se de junto dela. "



Da Bíblia Sagrada 





------------------

Comentário ao Evangelho do dia feito por : 

Santo Efrém (c. 306-373), diácono na Síria, Doutor da Igreja 
Homilias sobre a Mãe de Deus, 2, 93-145; CSCO 363 e 364, 52-53 (trad. Delhougne, Les Pères commentent, p. 481 rev.) 


«Porque me fez grandes coisas, o Omnipotente»
(Lc 1, 49)




Contemplai Maria, bem-amados, vede como Gabriel entrou em sua casa e como, à sua objecção, «Como será isso?», o servo do Espírito Santo deu a seguinte resposta: «Nada é impossível a Deus, para Ele tudo é simples.» Considerai como ela acreditou no que ouvira e disse: «Eis a serva do Senhor.» Desde logo o Senhor desceu, de uma forma que só Ele conhece; pôs-Se em movimento e veio como Lhe agradava; entrou nela sem que ela o sentisse e ela acolheu-O sem ter qualquer sofrimento. Ela trazia em si, como uma criança, Aquele de que o mundo está cheio. Ele desceu para ser o modelo que renovaria a imagem antiga de Adão.

É por essa razão que, quando te anunciam o nascimento de Deus, deves manter-te em silêncio. Que a palavra de Gabriel esteja presente no teu espírito, pois nada é impossível a esta gloriosa Majestade que desceu por nós e que nasceu da nossa humanidade. Nesse dia, Maria tornou-se para nós o céu que contém Deus, pois a Divindade sublime desceu e fez dela a Sua morada. Nela, Deus fez-se pequeno – mas sem enfraquecer a Sua natureza – para nos fazer crescer. Nela, Ele teceu-nos uma veste com a qual nos salvaria. Nela cumpriram-se todas as palavras dos profetas e dos justos. Dela se elevou a luz que expulsou as trevas do paganismo.

Numerosos são os títulos de Maria [...]: ela é o palácio no qual habitou o poderoso Rei dos reis, mas Ele não a deixou como viera, pois foi dela que Ele se fez carne e que nasceu. Ela é o novo céu no qual o Rei dos reis habitou; nela elevou-se Cristo e dela subiu para iluminar a criação, formada e talhada à Sua imagem. Ela é a cepa de vinha que deu uvas; ela gerou um fruto superior à natureza; e Ele, se bem que diferente dela pela Sua natureza, vestiu a sua cor quando nasceu dela. Ela é a fonte da qual brotaram as águas vivas para os sequiosos e aqueles que aí se dessedentam dão frutos a cem por um. 


"

(Ev Quotidiano)

LITURGIA DAS HORAS: HORA INTERMÉDIA



Hora Sexta
(A meio da tarde)

V. Abri Senhor, os meus lábios
R. e a minha boca anunciará o Vosso louvor.

Salmo invitatório.

Salmodia

Ant. 1 Por Vós clamo, Senhor, e espero na vossa palavra.

Salmo 118 (119), 145-152 Elogio da lei divina

Se alguém guardar a palavra de Cristo, nesse, o amor de Deus é perfeito” (1 Jo 2, 5). 145


De todo o coração Vos invoco: ouvi-me, Senhor, *
quero observar os vossos decretos.
146 Por Vós eu clamo: salvai-me, *
e cumprirei as vossas ordens.
147 Imploro o vosso auxílio antes da aurora *
e espero na vossa palavra.
148 Meus olhos antecipam-se às vigílias da noite, *
a meditar na vossa promessa.
149 Escutai a minha voz, Senhor, segundo a vossa bondade, *
fazei-me viver segundo os vossos juízos.
150 Aproximam-se os meus iníquos perseguidores, *
que estão longe da vossa lei.
151 Vós estais bem perto, Senhor, *
e são firmes todos os vossos mandamentos.
De há muito eu sei que as vossas ordens *
por Vós foram estabelecidas para sempre.

Ant. 1 Por Vós clamo, Senhor, e espero na vossa palavra.

Ant. 2 O Senhor sabe como são vãos os pensamentos do homem.

Salmo 93 (94) Apelo ao Deus justo

"Quem toma vingança de tudo isto é o Senhor: porque Deus não nos chama à impureza mas à santidade"
(1 Tess 4, 6-7).

I

1 Senhor, Deus de justiça, *
Deus de justiça, aparecei.
2 Levantai-Vos, julgai a terra, *
dai aos soberbos o que merecem.
3 Até quando, Senhor, *
até quando triunfarão os ímpios?
4 Até quando dirão insolências *
e se hão-de vangloriar os que praticam o mal?
5 Eles esmagam, Senhor, o vosso povo *
e oprimem a vossa herança.
6 Matam a viúva e o estrangeiro *
e tiram a vida aos órfãos.
7 E dizem: «O Senhor não vê, *
o Deus de Jacob não presta atenção».
8 Ó gente estulta, reflecti, *
e vós, insensatos, quando sereis prudentes?
9 Quem fez o ouvido não ouvirá? *
Não verá Aquele que fez os olhos?
Não poderá castigar quem educa as nações, *
quem ensina aos homens a ciência?
11 O Senhor conhece os pensamentos dos homens *
e sabe como são vãos.

Ant. 2 O Senhor sabe como são vãos os pensamentos do homem.

Ant. 3 O Senhor é a minha fortaleza e o meu refúgio.

II

12 Feliz do homem a quem Vós ensinais, Senhor, *
e instruís na vossa lei,
13 para lhe dar a paz nos dias maus, *
enquanto se abre a cova para os ímpios.
14 O Senhor não rejeita o seu povo, *
nem abandona a sua herança.
15 Mas há-de julgar com toda a justiça *
e hão-de segui-la todos os corações rectos.
16 Quem se levantará por mim contra os que fazem o mal? *
Quem estará a meu lado contra os que praticam a iniquidade?
17 Se o Senhor não viesse em meu auxílio, *
por pouco a minha alma habitaria no silêncio.
18 Quando digo: «Os meus pés vacilam», *
a vossa bondade, Senhor, me sustenta.
19 Quando se multiplicam as angústias do meu coração, *
as vossas consolações reconfortam a minha alma.
20 Podereis Vós ser aliado dum tribunal iníquo, *
que trama violências contra o direito?
21 Investem contra a vida do justo *
e condenam o sangue inocente.
22 Mas o Senhor tornou-Se a minha fortaleza, *
o meu Deus é um rochedo para meu abrigo.
23 Dá-lhes a paga das suas maldades, *
com a sua própria malícia os aniquila, †
24 o Senhor nosso Deus os extermina.

Ant. 3 O Senhor é a minha fortaleza e o meu refúgio.

Leitura breve: Zac 1, 3b-4b

Voltai para Mim, diz o Senhor dos Exércitos, e Eu voltarei para vós. Não sejais como vossos pais, a quem os primeiros Profetas clamavam: Convertei-vos dos vossos maus caminhos, das vossas más acções.

V. Desviai o vosso rosto das minhas culpas,
R. Purificai-me de todos os meus pecados.

Oração

Lembrai-Vos, Senhor, da vossa aliança, consagrada pelo Sangue de Cristo, para que o vosso povo alcance o perdão dos pecados e progrida continuamente nos frutos da redenção. Por Nosso Senhor.

Tem um bom dia!

terça-feira, 24 de março de 2009

MENSAGEM DO DIA




“Mentiram sobre mim! Como me defender?


Muita atenção! Você já deve ter percebido que o sangue ferveu, deu vontade de partir pra luta e fazer justiça. Tudo isso é duro demais, eu sei!
Entretanto, é preciso buscar condições para agir como cristão.

-Em primeiro lugar, nada faça na irritação, pois os resultados serão piores ainda, você já sabe!

-Segundo, fale com as pessoas certas e nunca caia na tentação de contar a outros o que houve com você. Isso somente vai aumentar a confusão.

-Terceiro, reze meditando sobre quem é você para Deus! Somos aquilo que Deus pensa de nós e ponto final.

-Quarto, aprenda com o que foi dito, mesmo se foi um absurdo! Sempre será uma chance de crescimento, humildade. Se você se fechar na dor da ofensa, perderá enorme chance de amadurecer.

-Quinto, esqueça esta história de se defender.

O tempo e nossa vida são a resposta mais vigorosa que existe. Somente um cristão encontra forças para reagir assim.

Com carinho e orações,

Seu irmão,
Ricardo Sá”

(cancaonova)

segunda-feira, 23 de março de 2009

PAPA VOLTA AO VATICANO




Papa recorda os momentos que marcaram

a sua viagem à África



“No voo que o leva de volta ao Vaticano, o Papa Bento XVI falou de suas impressões desta viagem: de um lado, destacou a cordialidade quase "exuberante", da alegria da África em festa, como se visse no papa a personificação do fato de que somo filhos e família de Deus. "Existe esta família e nós, com todos os limites, estamos nesta família e Deus está connosco."

Por outro lado, o pontífice ficou muito impressionado com o espírito de recolhimento nas liturgias, o forte sentido do sagrado: "Nas liturgias, não há auto-representação dos grupos, auto-animação, mas tem a presença do sagrado, do próprio Deus. Para mim, isso me impressionou muito".

O papa declarou-se ainda muito comovido com a morte de duas jovens antes do encontro no estádio dos Coqueiros, em Luanda. "Rezei e rezo por elas. Infelizmente, uma ainda não foi identificada. Esperamos que, no futuro, as coisas possam ser organizadas de modo que isso não aconteça mais."

Bento XVI citou ainda outros dois eventos que ficaram na sua memória. No Centro Cardeal Léger, em Iaundê, onde "me tocou o coração ver o mundo de múltiplos sofrimentos, todo o sofrimento, a tristeza, a pobreza da existência humana, mas também ver como Estado e Igreja colaboram para ajudar os sofredores. Vê-se que o homem, ajudando o sofredor, se torna mais homem, o mundo se torna mais humano: isso permanece inscrito na minha memória".

Em seguida, o pontífice citou a entrega do Instrumento de Trabalho para o Sínodo e a preparação do evento, quando se reuniu com todos os membros do Conselho para o Sínodo – 12 bispos – e cada um falou da situação de sua Igreja local, de suas propostas, de suas expectativas e, assim, nasceu uma ideia muito rica da realidade da Igreja na África. "Poderia dizer muito, por exemplo, da Igreja na África do Sul, que teve uma experiência de reconciliação difícil, mas com êxito positivo, que agora ajuda, com sua experiência, a tentativa de reconciliação em Burundi e tenta fazer algo semelhante em Zimbabué, apesar das dificuldades."

Por fim, o papa agradeceu a todas as pessoas que contribuíram para o sucesso desta viagem: "Parece-me que realmente a palavra 'obrigado' deveria concluir esta aventura e obrigado mais uma vez também a vocês, jornalistas, pelo trabalho que fizeram e querem fazer. Obrigado!".

(cancaonova)

BENTO XVI DEIXA ANGOLA




Papa deixa palavra para os necessitados


Terminou a visita de Bento XVI a Angola. O Papa, que partiu do aeroporto de Luanda às 11h00 locais (10h00 em Lisboa) num avião da Alitalia de regresso a Roma, apelou àqueles que "ocupam cargos públicos" para se preocuparem com os mais necessitados, defendendo a solidariedade em nome da "partilha equitativa" da riqueza.

'Se me permitissem um apelo final seria para pedir que a justa realização das aspirações fundamentais das populações mais necessitadas constitua a preocupação principal de quantos ocupam cargos políticos públicos visto que a sua intenção, estou certo, é desempenhar a missão recebida não para si mesmo mas em vista do bem comum', disse Bento XVI, na cerimónia de despedida no aeroporto de Luanda, no final de uma visita de quatro dias a Angola.

Bento XVI agradeceu ao chefe de Estado angolano, José Eduardo dos Santos, 0 'tratamento fidalgo' com que foi recebido pelas autoridades e defendeu a solidariedade como um valor capaz de vencer a injustiça social.

Presidente da República agradece palavras de alento

Na sua mensagem de despedida a Bento XVI, o Presidente angolano José Eduardo dos Santos agradeceu as palavras "de apreço, de alento, de esperança e de encorajamento" vindas do Vaticano para os angolanos.

José Eduardo dos Santos afirmou, hoje em Luanda, o compromisso no prosseguimento da construção de uma sociedade assente "no respeito pelos direitos humanos, na democracia e na justiça social".

Na sua deslocação ao aeroporto internacional 4 de Fevereiro para se despedir do Papa, o chefe de Estado angolano, salientou que foi "emocionante" assistir a todas as manifestações "de fé, de devoção e de calor humano" transmitidas pelo povo angolano, conscientes de estarem a viver "um momento único privilegiado".

(Correio da Manhã)

PRECES



ORAÇÃO UNIVERSAL


Glorifiquemos a Deus, nosso Pai, que nos concede a graça de Lhe oferecermos o sacrifício de louvor quaresmal, e invoquemo-l’O dizendo:

Iluminai-nos, Senhor, com a vossa palavra.

* Deus omnipotente e cheio de misericórdia, dai-nos o espírito de oração e de penitência
— e inflamai o nosso coração no vosso amor e no amor dos nossos irmãos.

Iluminai-nos, Senhor, com a vossa palavra.

* Ensinai-nos a colaborar convosco, para que se renovem todas as coisas em Cristo
— e abunde a justiça e a paz em toda a terra.

Iluminai-nos, Senhor, com a vossa palavra.

* Ensinai-nos a descobrir o valor e a bondade de todas as criaturas
— e a louvar-Vos, bendizer-Vos e dar-Vos graças por todas as maravilhas da vossa criação.

Iluminai-nos, Senhor, com a vossa palavra.

* Perdoai-nos por termos ignorado muitas vezes a presença de Cristo, vosso Filho,
— na pessoa dos pobres, dos simples, dos indigentes e dos marginados.


Oremos

Deus de infinita bondade, que renovais o mundo com admiráveis sacramentos, fazei que a vossa Igreja se enriqueça sempre mais com estes benefícios eternos e nunca lhe faltem os auxílios temporais. Por Nosso Senhor.

(Da: Liturgia das Horas)

domingo, 22 de março de 2009

HOJE É O DIA DO SENHOR




DOMINGO IV DA QUARESMA – ANO B


LITURGIA DA PALAVRA:


- 1ª Leitura: 2 Cr 36, 14-16.19-23
- Sl 136, 1-6

- 2ª Leitura: Ef 2, 4-10

- Ev: Jo 3, 14-21


Praticar a verdade. A Antífona de Entrada da missa de hoje soa assim: «Alegra-te (em latim: Laetare), Jerusalém / rejubilai, todos os seus amigos. Exultai de alegria, todos vós que participastes no seu luto» (Is 66, 10-11). Como se diz na Oração antes da 1ª Leitura, «queremos caminhar alegremente para as próximas solenidades pascais». Justificação para a alegria, júbilo e exultação é, em última análise, a mensagem do Evangelho de que «Deus amou tanto o mundo, que entregou o seu Filho unigénito, para que todo o homem que acredita n’Ele não pereça, mas tenha a vida eterna». Trata-se de um amor universal, isto é, para todos, não só para um povo, não só para os piedosos, mas também para os não amados, os sozinhos, os que não pensam em Deus e/ou rejeitam o seu amor. Deus ama cada ser humano, como se não houvesse mais nenhum a quem dedicar o seu amor.

É um amor corporizado, feito carne, na pessoa do Filho, Jesus Cristo, que é caminho, verdade e vida. Que é verdade a ser vivida, praticada, fé traduzida em actos. Praticar a verdade significa ser Ele a actuar por meio de nós. A verdade nos libertará (Jo 8, 32).

A escolha: bem ou mal, luz ou trevas. O nosso Deus não Se interessa apenas pelos aspectos religiosos da vida dos homens. É um Deus dos domingos e dos dias de semana, da presença na igreja e também na fábrica, nas “casas de Deus” e nos lugares de trabalho, das horas de aflição e dos momentos de alegria. Honramo-Lo, tanto com os cânticos litúrgicos, como com o porta-moedas aberto para as necessidades dos irmãos carenciados. É serviço religioso frequentar assiduamente a igreja, mas é-o igualmente o tempo dedicado aos irmãos, os carinhos e ajudas de todo o género prestados ao próximo. A este amor universal, responde-se e retribui-se com amor a todos e a cada um.

Deus não exclui ninguém do seu amor. Jesus Cristo veio manifestar-nos esse «amor até ao fim». E o fim passou pela cruz a anteceder a ressurreição. Com Jesus, aprendemos a pagar o preço do amor, o sacrifício e a dor. Veio como Luz para o meio das trevas. Estas quase que tragaram a luz. Mas a luz acabou e acaba sempre por vencer. Está a chegar a Páscoa vitoriosa. Precede-a a Paixão e a morte, em que Jesus nos ensina a sofrer e a morrer, para voltarmos e fazermos outros regressar à vida plena. Revestirmo-nos de Cristo consiste em fazer coisas à maneira de Cristo, agir movidos pelo seu espírito de amor. Como a Madre Teresa de Calcutá, queremos que o nosso trabalho seja «amor em acção», seja «algo de belo por e para Deus».

(Jesuítas)
.................

HOJE É DIA DE LAUSPERENE NA SÉ DE ANGRA. REZA CONNOSCO LOUVORES À SAGRADA EUCARISTIA!


sábado, 21 de março de 2009

PAPA ENCONTRA-SE COM OS JOVENS DE ANGOLA




Jovens angolanos fizeram uma coreografia

em homenagem a Bento XVI


(Da Redação, com Ecclesia)

Neste sábado, 21, o Papa Bento XVI realizou um encontro com a juventude de Luanda, no Estádio dos Coqueiros. Antes da chegada do Santo Padre, os jovens entoaram cânticos e fizeram coreografias de boas-vindas.

Quando o Papa entrou no estádio, foi entoado o hino da juventude. "Benedito, Benedito" foi o grito que uniu os jovens no momento da sua chegada.

Milhares de jovens, provenientes das 18 províncias do país, prepararam uma coreografia para receber o Pontifice e formaram os contornos do mapa de Angola, no gramado do estádio. No altar montado no topo norte do estádio, Bento XVI leu a mensagem “Bem-vindo”, constituída por milhares de cartões brancos e vermelhos.

"Deus faz a diferença" e "faz-nos diferentes"

Com essas Palavras, O Papa convidou os jovens a não terem medo “de decisões definitivas”, no casamento, na vida sacerdotal ou na consagração religiosa.

O Papa falou aos "milhares de jovens angolanos mutilados em consequência da guerra e das minas". "Penso nas muitas lágrimas que muitos de vocês derramaram pela perda dos familiares, e não é difícil imaginar as nuvens cinzentas que ainda cobrem o céu dos seus melhores sonhos", acrescentou.

"O futuro da nova humanidade é Deus, e antecipação inicial disso mesmo é a sua Igreja. Quando puderem, leiam com atenção a sua história. A Igreja, com o passar dos anos, não envelhece; antes, torna-se cada vez mais jovem, porque caminha ao encontro do Senhor, aproximando-se cada vez mais da única e verdadeira fonte de onde brota a juventude, a novidade, a regeneração, a força da vida", defendeu.

Bento XVI disse aos presentes que "o futuro é Deus" e que "a renovação começa dentro (...). A força dinâmica do futuro está dentro de vós".

"Coragem! Ousai decisões definitivas, porque na verdade são as únicas que não destroem a liberdade, mas lhe criam a justa direção, possibilitando seguir em frente e alcançar algo de grande na vida. Sem dúvida, a vida só pode valer se viverem com a coragem da aventura, a confiança de que o Senhor nunca vos deixará sozinhos", indicou aos jovens.

"Juventude angolana, liberta de dentro de ti o Espírito Santo. Confiai nele como Jesus, arriscai este salto no definitivo. Assim, serão criados, entre vocês, ilhas, oásis e grandes superfícies de cultura cristã onde se tornará visível aquela cidade santa que desce do céu", acrescentou.

"Viva a juventude de Angola", concluiu Bento XVI.


PENSAMENTO DO DIA



PÁRA UM POUCO!


" Se o nosso desejo de servir a Deus é perfeito,

que o nosso coração não deseje nem procure

senão a Ele."


(Maria da Conceição Pinto da Rocha
Instituto das Irmãs Reparadoras Missionárias da Santa Face)

Angola: Papa anuncia criação da Diocese do Namibe


CRIAÇÃO DA DIOCESE DO NAMIBE

Bento XVI anunciou esta Sexta-feira, em Luanda, a criação da Diocese do Namibe e nomeou como primeiro bispo o padre Mateus Senciano Tomás, pároco da catedral de Huambo, doutorado em Teologia Moral, que também desempenhava as funções de chanceler e de professor no Seminário Maior de Cristo Rei no Huambo.

O Papa fez a revelação no encontro que manteve com os bispos da Conferência Episcopal de Angola e São Tomé (CEAST), no âmbito da sua visita pastoral a Angola.

Namibe pertencia à Arquidiocese do Lubango. É uma cidade e município de Angola, capital da província com o mesmo nome. Tem 8916 quilómetros quadrados e cerca de 162 mil habitantes.

Foi fundada em 1840 e, até 1985, foi denominada Moçâmedes. É o terceiro maior porto de Angola, depois de Luanda e Lobito. É também o terminal do caminho-de-ferro do Namibe.

Actualmente, as Dioceses de Angola estão assim distribuídas: Arquidiocese de Luanda, que tem como sufragâneas as Dioceses de Cabinda, Mbanza Congo, Uíje, Malanje, Saurimo, Novo Redondo e Ndalatando; Arquidiocese do Huambo, que tem como sufragâneas as Diocese de Benguela, Kwito-Bié e Lwena; Arquidiocese de Lubango, que tem como sufragâneas as Diocese de Menongue, Ondjiva e agora Namibe.


( Agência Eclesia)

Multidão acompanha Bento XVI em Luanda




Papa condena marginalização de crianças e velhos por causa das crenças na feitiçaria


Milhares de fiéis continuam a acompanhar Bento XVI em Luanda, num dos maiores banhos de multidão do seu pontificado. Este Sábado, na igreja de São Paulo, o Papa preside a uma Missa, com a participação em particular dos movimentos eclesiais e catequistas, que está a ser acompanhada também nas ruas da cidade, através de ecrãs gigantes.

O Papa dedicou a sua homilia dedicada à necessidade da evangelização, salientando que “cabe a vós, irmãos e irmãs” oferecer “Cristo ressuscitado aos vossos compatriotas”, condenando algumas crenças que ainda hoje se encontram presentes na sociedade do país.

Segundo Bento XVI, muitos angolanos “vivem no temor dos espíritos, dos poderes nefastos de que se crêem ameaçados; desnorteados, chegam a condenar meninos da rua e até os mais velhos, porque – dizem – são feiticeiros”.

“Objectam alguns: «Por que motivo não os deixamos em paz? Eles têm a sua verdade; nós, a nossa. Convivamos pacificamente, deixando cada um como é, realizando do melhor modo a sua autenticidade». Mas, se estamos convencidos e temos a experiência de que, sem Cristo, a vida é incompleta, falta uma realidade – e a realidade fundamental –, devemos também estar convencidos de que não fazemos injustiça a ninguém se lhe mostrarmos Cristo e lhe oferecermos a possibilidade de encontrar, deste modo, também a sua verdadeira autenticidade, a alegria de ter encontrado a vida”, acrescentou.

Segundo o Papa, para anunciar Cristo é necessário primeiro encontrá-lo, como aconteceu na vida de Paulo, Apóstolo cujos 2000 anos de nascimento e celebram de forma solene com um ano jubilar, em toda a Igreja.

“De Deus, rico em Misericórdia, fala-nos por experiência própria São Paulo, patrono da cidade de Luanda e desta magnífica igreja, construída há quase cinquenta anos. Quis assinalar o bimilenário do nascimento de São Paulo com o Jubileu Paulino em curso, para dele aprendermos a conhecer melhor Jesus Cristo”; apontou.

Bento XVI recordou os 500 anos de evangelização em África, em especial a acção rei Dom Afonso I Mbemba Nzinga, que reinou de 1506 até 1543.

“Neste momento, apraz-me recuar com o pensamento quinhentos anos atrás, ou seja, aos anos 1506 e sucessivos, quando nestas terras, então visitadas pelos portugueses, se levantou o primeiro reino cristão subsaariano, graças à fé e determinação do rei Dom Afonso I Mbemba-a-Nzinga, que reinou desde o referido ano de 1506 até 1543, ano em que faleceu; o reino permaneceu oficialmente católico nos séculos XVI a XVIII e com embaixador em Roma. Vedes como duas etnias muito diferentes – banta e lusíada – puderam encontrar na religião cristã uma plataforma de entendimento, esforçando-se por que esse entendimento perdurasse e as divergências – que as houve, e graves – não afastassem os dois reinos”, ilustrou.

O Papa começara por dirigir uma saudação “a todos vós – mulheres e homens dedicados à causa de Jesus Cristo – que aqui vos encontrais e quantos representais: bispos, presbíteros, consagradas e consagrados, seminaristas, catequistas, líderes dos mais variados movimentos e associações desta amada Igreja de Deus. Desejo aqui fazer menção das religiosas contemplativas, presença invisível mas extremamente fecunda para os passos de todos nós”, disse o Papa.

Depois de um primeiro dia em que houve tolerância de ponto na região de Luanda, a capital angolana acordou hoje com um enorme engarrafamento, em particular junto da igreja de São Paulo.

Antes de sair da Nunciatura, residência oficial durante a visita, o Papa viu cinquenta crianças da escola "Nossa Senhora da Luz", do município do Sambizanga, Luanda, formarem uma coreografia humana a simbolizar uma rosa de porcelana, para saudar o Bento XVI. As crianças entregaram-lhe uma tela pintada a óleo, com uma rosa de porcelana, e outra natural.

Ainda hoje Bento XVI tem previsto um encontro com 25 mil jovens no estádio dos Coqueiros.

(Ag Eclesia)

sexta-feira, 20 de março de 2009

PAPA BENTO XVI EM ANGOLA



Visita Papal


Papa recebido com euforia pela população


"Bento XVI chegou esta Sexta-feira a Angola para cumprir a segunda etapa da sua viagem a África, depois de três dias no Camarões. O Papa estará em Luanda de 20 a 23 de Março.

Milhares de católicos concentram-se na rua que dá acesso ao Aeroporto 4 de Fevereiro, em Luanda, fortemente guardado pela Polícia Nacional, Forças Armadas e Guarda Presidencial para a visita. Ecrãs gigantes foram colocados ao longo do percurso.

Escuteiros, jovens e membros dos movimentos femininos da Igreja Católica encontram-se ao longo da via do Aeroporto 4 de Fevereiro até às imediações da Nunciatura Apostólica, onde Bento XVI fica hospedado. A Polícia Nacional mobilizou mais de dez mil efectivos.

Pouco antes das 12h45 (hora local, menos uma em Lisboa), o Papa aterrou no Aeroporto internacional de Luanda, onde foi acolhido pelo presidente José Eduardo dos Santos. O Chefe de Estado angolano faz-se acompanhar de sua esposa, Ana Paula dos Santos, dos presidentes da Assembleia Nacional e do Tribunal Supremo, do primeiro-ministro e outros membros do governo.

No seu discurso inaugural, Bento XVI começou por oferecer um “encorajamento” ao povo angolano no seu trabalho de reconstrução do país.

“Com um profundo sentimento de respeito e simpatia, piso o solo desta nobre e jovem Nação no âmbito duma visita pastoral, que, no meu espírito, tem por horizonte o continente africano, mas os passos tive de os limitar a Yaoundé e Luanda. Saibam porém que, no meu coração e oração, tenho presentes a África em geral e o povo de Angola em particular, a quem desejo oferecer o meu cordial encorajamento a prosseguir no caminho da pacificação e da reconstrução do país e das instituições”, disse o Papa.

Após saudar “toda a Igreja Católica” em Angola e agradecer o “acolhimento caloroso”, o Papa pediu uma sociedade de "justiça, paz e solidariedade, na caridade e no perdão recíproco" e um país que seja “uma casa de paz e fraternidade”.

"Queridos amigos angolanos, o vosso território é rico; a vossa nação é forte. Usai, porém, estes vossos créditos para favorecer a paz e o entendimento entre os povos, numa base de lealdade e igualdade que promova na África aquele futuro pacífico e solidário a que todos aspiram e têm direito. Para isso, vos peço: Não vos rendais à lei do mais forte", apontou.

O Papa lembrou as vítimas das recentes cheias no Cunene, deixando um “particular encorajamento” às populações que têm agora o desafio de recomeçar as suas vidas.

Bento XVI lembrou os “pobres que reclamam o respeito dos seus direitos” e a "multidão de angolanos que vive abaixo da linha de pobreza absoluta", pedindo uma “maior participação cívica de todos”.

“Para dar vida a uma sociedade verdadeiramente atenta ao bem comum, são necessários valores compartilhados por todos. Estou convencido de que Angola poderá encontrá-los também hoje no Evangelho de Jesus Cristo, como sucedeu tempos atrás com um vosso ilustre antepassado, Dom Afonso I Mbemba-a-Nzinga; há 500 anos deu início em Mbanza Congo a um reino cristão que sobreviveu até ao século XVIII”, indicou.

Bento XVI falou então do “motivo imediato” que o levou a Angola: “Encontrar-me com uma das mais antigas comunidades católicas da África subequatorial, para a confirmar na sua fé em Jesus ressuscitado e unir-me às preces de seus filhos e filhas para que o tempo da paz, na justiça e na fraternidade, não conheça ocaso em Angola, permitindo-lhe cumprir a missão que Deus lhe confiou em favor do seu povo”.

"Deus abençoe Angola", concluiu."

(Ag Eclesia)

DEUS ABENÇOE E PROTEJA O SANTO PADRE.

Perseguição dos cristãos indianos ressoará na via sacra do Coliseu

As meditações serão preparadas pelo arcebispo de Guwahati


"CIDADE DO VATICANO, quinta-feira, 19 de março de 2009 (ZENIT.org).- O arcebispo de Guwahati, Dom Thomas Menamparampil, foi encarregado de preparar este ano as reflexões da via sacra que o Papa rezará na próxima Sexta-Feira Santa no Coliseu de Roma, segundo confirmaram fontes da Santa Sé.

Segundo a agência de imprensa indiana SARnews, Dom Menamparampil é conhecido por seu trabalho pacificador nos conflitos étnicos do nordeste da Índia nos últimos anos, assim como por sua defesa dos Dalit cristãos (também conhecidos como párias, que foram praticamente o objetivo da perseguição religiosa nos últimos meses em Orissa.

Em sua reflexão, o arcebispo de Guwahati teria escrito, segundo SARnews, sobre o sofrimento dos cristãos perseguidos na Índia, assim como sobre os oprimidos no Sudão e no Congo, «a quem são negados os direitos e a dignidade humana».

Pelo segundo ano consecutivo, o Papa se dirige à Ásia para preparar a via sacra, já que na Sexta-Feira Santa passada correspondeu ao cardeal Joseph Zen, bispo de Hong Kong, preparar a meditação. O purpurado é um conhecido lutador pela liberdade religiosa dos católicos da China continental.

Dom Menamparampil tem 72 anos e é arcebispo de Guwahati desde 1995. Entre outros cargos, é presidente da Comissão de Evangelização da Federação de Conferências Episcopais da Ásia (FABC). Em 1998 lhe foi concedido o Maschio Award (Bombaim) por seu trabalho a favor da reconciliação entre as diversas etnias na Índia oriental."

TEMPO DA QUARESMA: A VIA SACRA – 3




JESUS NA CRUZ, A MÃE E O DISCÍPULO


Nós Vos adoramos e Vos bendizemos, ó Jesus,
porque com a Vossa Santa Cruz remistes o Mundo.


Ao ver sua Mãe e junto dela o discípulo que Ele amava, Jesus disse a sua Mãe: Mulher, eis aí o teu filho. Depois disse ao discípulo: Eis a tua Mãe. E, desde aquela hora, o discípulo recebeu-A em sua casa”. (Jo 19, 26-27).


Meditação

A presença de Maria junto à Cruz, vendo crucificar e morrer o fruto bendito do seu ventre, o seu Jesus, o Filho amado, é o momento de maternidade, pois torna-se Mãe de todos os homens e de todas as mulheres. Fomos gerados na dor e na compaixão, frutos da sua oferta. Ela é doravante nossa Mãe. Nós, como João, temos que A trazer para nossa casa, para a nossa vida, para o nosso coração.
De pé, junto à cruz, Maria oferece o Filho e oferece-Se com Ele. Torna-Se corredentora pela força do amor, Mãe duma humanidade nova, gerada pelo Espírito. Unidos a Ela, à sua missão, podemos ser “redentores” com Cristo, para que o mundo tenha vida e a tenha com abundância.
Lembrar todas as mães que renovam, hoje, o mistério da Senhora das Dores. Mães de filhos condenados, presos, injustiçados, moribundos, criminosos, drogados, perdidos na vida, perdidos de Deus nos caminhos do mundo.

Oração

Mãe de Misericórdia, Senhora da Dores, acolhe-nos em teu coração de Mar, faz-nos discípulos amados de teu Filho, Jesus, dá-nos o dom da vida nova que brota da cruz.

Mãe de Misericórdia, abençoa-nos.

Senhora, Mãe do Inocente e do Justo, acolhe em teu Coração de Mãe, todas as mães que partilham contigo a dor dos filhos perdidos e mortos.

Mãe de Misericórdia, abençoa-nos.


[Pai-Nosso, Ave-Maria e Glória]

...........................



JESUS MORRE NA CRUZ


Nós Vos adoramos e Vos bendizemos, ó Jesus,
porque com a Vossa Santa Cruz remistes o Mundo.


E à hora noa Jesus exclamou em alta voz: Meu Deus, meu Deus, porque Me abandonaste?. Um correu a embeber uma esponja em vinagre e deu-Lhe. Mas soltando um grande brado, Jesus expirou”. (Mc 15, 34.36-37

Meditação

Antes de morrer, Jesus clamou: “Tenho sede”. Sede mística de amor, de amizade, de companhia, de homens e mulheres mais fieis, mais amigos; sede de todos os que andam em pecado, dos que morrem sem amor e sem a graça...Tem sede de cada um de nós.
O grito de abandono é a palavra que expressa o abismo da dor, do desamparo que Jesus sente e sofre, para estabelecer a unidade com o Pai de toda a humanidade. O abismo que existia, devido ao pecado, precisava de ser remido. Agora a humanidade já pode viver a comunhão, a redenção, a vida de Deus.
A morte, como prova máxima do amor, é a maior revelação do pai, do amor trinitário. Ao morrer por nós, Jesus revela que Deus não é outra coisa Senão amor. É diante d’Ele morto que experimentamos o amor louco e apaixonado d Deus por cada um de nós. Cada um de nós pode dizer: morreu por mim, por meu amor.

Oração

Senhor Jesus, que continuas a clamar: tenho sede, ensina-nos a amar-Te e fazer-Te amar, a retribuir o teu amor, a conquistar pessoas, que Te amem sem medida.

Queremos ser Vossos, Senhor.

Senhor Jesus, no teu grito de abandono, faz-nos perceber a loucura do teu amor, dá-nos a graça de assumir as nossas dores, os nossos estados de abandono, de desamparo.

Queremos ser Vossos, Senhor.

Senhor Jesus, morto por amor, abençoa todos os moribundos, ajuda a morrer em Ti e Contigo, todos os homens e mulheres.

Queremos ser Vossos, Senhor.


[Pai-Nosso, Ave-Maria e Glória]



quinta-feira, 19 de março de 2009

O HOMEM EM QUEM DEUS CONFIOU

JOSÉ, PAI ADOPTIVO DE JESUS


EVANGELHO Mt 1, 16.18-21.24a

«José fez como lhe ordenara o Anjo do Senhor»


Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus

"Jacob gerou José, esposo de Maria, da qual nasceu Jesus, chamado Cristo.
O nascimento de Jesus deu-se do seguinte modo:
Maria, sua Mãe, noiva de José, antes de terem vivido em comum, encontrara-se grávida por virtude do Espírito Santo.
Mas José, seu esposo, que era justo e não queria difamá-la, resolveu repudiá-la em segredo.
Tinha ele assim pensado, quando lhe apareceu num sonho o Anjo do Senhor, que lhe disse:
«José, filho de David, não temas receber Maria, tua esposa, pois o que nela se gerou é fruto do Espírito Santo.
Ela dará à luz um filho e tu pôr-Lhe-ás o nome de Jesus, porque Ele salvará o povo dos seus pecados».
Quando despertou do sono, José fez como lhe ordenara o Anjo do Senhor."

Palavra da salvação.


Guarda fiel e providente

Dos Sermões de São Bernardino de Sena, presbítero (Sermo 2, de S. Ioseph: Opera 7, 16.27-30) (Sec. XV)

É esta a regra geral de todas as graças singulares concedidas a qualquer criatura racional: quando a divina providência escolhe alguém para uma graça singular ou para um estado elevado, concede à pessoa assim eleita todos os carismas que são necessários ao seu ministério.
Isto verificou-se de forma eminente em São José, pai putativo do Senhor Jesus Cristo e verdadeiro esposo da Rainha do mundo e Senhora dos Anjos, que foi escolhido pelo Eterno Pai para guarda fiel e providente dos seus maiores tesouros: o Filho de Deus e a Virgem Maria. E fidelissimamente desempenhou este ofício; por isso lhe disse o Senhor: Servo bom e fiel, entra na alegria do teu Senhor.
Consideremos São José diante de toda a Igreja de Cristo: não é acaso ele o homem eleito e singular, por meio do qual e sob o qual, de modo ordenado e honesto, se realizou a entrada de Cristo no mundo? Se portanto toda a Santa Igreja é devedora à Virgem Mãe, porque por meio dela recebeu Cristo, assim também, logo a seguir a ela, deve a São José uma singular gratidão e reverência,
Ele é na verdade o termo da Antiga Aliança, nele a dignidade dos Patriarcas e dos Profetas alcança o fruto prometido. Ele é o único que realmente alcançou aquilo que a divina condescendência lhes tinha prometido.
E não devemos duvidar que a intimidade, a reverência e a sublime dignidade que Cristo lhe tributou, enquanto procedeu na terra como filho para com seu pai, decerto também lha não negou no Céu, mas antes a completou e consumou.
Por isso não é sem motivo que o Senhor lhe diz: Entra na alegria do teu Senhor. De facto, apesar de ser a alegria da bem-aventurança eterna que entra no coração do homem, o Senhor prefere dizer-lhe: Entra na alegria, para insinuar misteriosamente que a alegria não está só dentro dele, mas o circunda de todos os lados e o absorve e submerge como abismo sem fim.

Lembrai-vos de nós, São José, e intercedei com as vossas orações junto do vosso Filho; tornai-nos também propícia a Virgem vossa Esposa, que é a Mãe d’Aquele que vive e reina com o Pai e o Espírito Santo pelos séculos sem fim, Amen."

(Ag Ecllesia)

Santa Sé ilustra as palavras do Papa sobre preservativo




O Pe. Lombardi responde

a polémicas de imprensa, governos e instituições


"YAOUNDÉ, quarta-feira, 18 de Março de 2009 (ZENIT.org).- O porta-voz da Santa Sé comentou as palavras de Bento XVI sobre a luta contra a AIDS esclarecendo que, para a Igreja, a prioridade é a educação, a pesquisa e a assistência humana e espiritual, e não a opção exclusiva pela difusão de preservativos.

O esclarecimento que o director da Sala de Imprensa da Santa Sé, Pe. Federico Lombardi S.J., publicou na tarde desta quarta-feira desde Yaoundé, deu-se através de um comunicado em resposta às interpretações da mídia e inclusive de representantes governamentais sobre a resposta que o Papa deu nesta terça-feira aos jornalistas na viagem de Roma a Camarões.

Um editorial de capa, publicado pelo director de L'Osservatore Romano, Giovanni Maria Vian, constata que alguns meios de comunicação reduziram a mensagem do Papa sobre a AIDS «a um só aspecto – também, tirado de contexto em chave polémica –, ou seja, o dos métodos para enfrentar a difusão da AIDS».

Baseados em uma versão parcial que os meios informativos ofereceram nesta terça-feira das palavras do Papa em sua referência à AIDS e ao preservativo, representantes de instituições e governos lançaram duras acusações.
Por exemplo, o director executivo do Fundo Mundial de Luta contra a AIDS, Michel Kazatchkine, expressou sua «profunda indignação» e pediu ao Papa que retire suas afirmações, considerando-as «inaceitáveis», pois representam «uma negação da epidemia».
Expoentes dos governos da França e da Bélgica também atacaram com violência o Santo Padre.

O Pe. Lombardi precisou em sua declaração «que o Santo Padre confirmou as posições da Igreja Católica e as linhas essenciais de seu compromisso para combater o terrível flagelo da AIDS».
O porta-voz explicou que as três áreas de acção na luta contra a AIDS foram expostas por Bento XVI.
*Em primeiro lugar, «a educação na responsabilidade das pessoas no uso da sexualidade e a reafirmação do papel essencial do matrimónio e da família».
*Em segundo lugar, «a pesquisa e a aplicação de tratamentos eficazes para a AIDS e colocá-los à disposição ao maior número de doentes através de muitas iniciativas e instituições de saúde».
*Em terceiro lugar, «a assistência humana e espiritual aos enfermos de AIDS, assim como de todos os que sofrem, que desde sempre estão no coração da Igreja».

«Estas são as direcções nas quais a Igreja concretiza seu compromisso, considerando que buscar essencialmente em uma mais ampla difusão de preservativos não constitui na realidade o melhor caminho, o de mais amplo horizonte, nem o mais eficaz para enfrentar o flagelo da AIDS e tutelar a vida humana», concluiu o Pe. Lombardi."


Quantos de nós já havia atirado a 1ª pedra?

LITURGIA DAS HORAS EM DIA DE S. JOSÉ



TIEMPO DE CUARESMA - OFICIO DE LECTURA
JUEVES DE LA SEMANA III

19 de marzo

SAN JOSE, ESPOSO DE LA BIENAVENTURADA VIRGEN MARÍA .SOLEMNIDAD

Si el Oficio de Lectura es la primera oración del día:

V. Señor abre mis labios
R. Y mi boca proclamará tu alabanza

Se añade el Salmo del Invitatorio con la siguiente antífona:

Ant. Adoremos a Cristo, el Señor, en esta solemnidad de san José.


Si antes del Oficio de lectura se ha rezado ya alguna otra Hora:

V. Dios mío, ven en mi auxilio
R. Señor, date prisa en socorrerme

V. Gloria al Padre, y al Hijo, y al Espíritu Santo.
R. Como era en el principio, ahora y siempre, por los siglos de los siglos. Amén.


Himno: CUSTODIO PROVIDENTE Y FIEL DEL HIJO

Custodio providente y fiel del Hijo,
amor junto al Amor doquier presente,
silencio del que ve la gloria inmensa
de Dios omnipotente.

Esposo enamorado de la Virgen,
la mente ante el misterio reclinabas,
rosal inmaculado que florece,
es obra del Señor a quien amabas.

Callada voluntad en Dios perdida,
amor hecho mirada de confianza,
fiel en el trabajo y en la prueba,
provéenos de amor y de esperanza.

Protege la asamblea de los justos,
reunidos en la fe, cuerpo de Cristo;
sé padre que nos lleve a nuestro Padre,
amor del gran Amor que nos da el Hijo. Amén.

SALMODIA

Ant. 1. Un ángel del Señor se apareció en sueños a José, y le dijo: «José, hijo de David, no temas recibir a María como esposa; dará a luz un Hijo y le llamarás Jesús.»

Salmo 20 - ACCIÓN DE GRACIAS POR LA VICTORIA DEL REY.

Señor, el rey se alegra por tu fuerza,
¡y cuánto goza con tu victoria!
Le has concedido el deseo de su corazón,
no le has negado lo que pedían sus labios.

Te adelantaste a bendecirlo con el éxito,
y has puesto en su cabeza una corona de oro fino.
Te pidió vida, y se la has concedido,
años que se prolongan sin término.

Tu victoria ha engrandecido su fama,
lo has vestido de honor y majestad.
Le concedes bendiciones incesantes,
lo colmas de gozo en tu presencia;
porque el rey confía en el Señor,
y con la gracia del Altísimo no fracasará.

Levántate, Señor, con tu fuerza,
y al son de instrumentos cantaremos tu poder.

V. Gloria al Padre, y al Hijo, y al Espíritu Santo.
R. Como era en el principio, ahora y siempre, por los siglos de los siglos. Amén.

Ant. Un ángel del Señor se apareció en sueños a José, y le dijo: «José, hijo de David, no temas recibir a María como esposa; dará a luz un Hijo y le llamarás Jesús.»

Ant. 2. Al despertar José del sueño, hizo como le había ordenado el ángel del Señor y llevó a María como esposa a su casa.

Salmo 91 I - ALABANZA A DIOS QUE CON SABIDURÍA Y JUSTICIA DIRIGE LA VIDA DE LOS HOMBRES

Es bueno dar gracias al Señor
y tocar para tu nombre, oh Altísimo,
proclamar por la mañana tu misericordia
y de noche tu fidelidad,
con arpas de diez cuerdas y laúdes
sobre arpegios de cítaras.

Tus acciones, Señor, son mi alegría,
y mi júbilo, las obras de tus manos.
¡Qué magníficas son tus obras, Señor,
qué profundos tus designios!
El ignorante no los entiende
ni el necio se da cuenta.

Aunque germinen como hierba los malvados
y florezcan los malhechores,
serán destruidos para siempre.
Tú, en cambio, Señor,
eres excelso por los siglos.

V. Gloria al Padre, y al Hijo, y al Espíritu Santo.
R. Como era en el principio, ahora y siempre, por los siglos de los siglos. Amén.

Ant. Al despertar José del sueño, hizo como le había ordenado el ángel del Señor y llevó a María como esposa a su casa.

Ant. 3. José subió de la ciudad de Nazaret a la ciudad de David que se llama Belén, para empadronarse con María.

Salmo 91 II

Porque tus enemigos, Señor, perecerán,
los malhechores serán dispersados;
pero a mí me das la fuerza de un búfalo
y me unges con aceite nuevo.
Mis ojos no temerán a mis enemigos,
mis oídos escucharán su derrota.

El justo crecerá como una palmera
y se alzará como un cedro del Líbano:
plantado en la casa del Señor,
crecerá en los atrios de nuestro Dios;

en la vejez seguirá dando fruto
y estará lozano y frondoso,
para proclamar que el Señor es justo,
que en mi Roca no existe la maldad.

V. Gloria al Padre, y al Hijo, y al Espíritu Santo.
R. Como era en el principio, ahora y siempre, por los siglos de los siglos. Amén.

Ant. José subió de la ciudad de Nazaret a la ciudad de David que se llama Belén, para empadronarse con María.

V. El justo florecerá como un lirio.
R. Y se alegrará eternamente ante el Señor.


PRIMERA LECTURA
De la carta a los Hebreos 11, 1-16

LA FE DE LOS ANTIGUOS PADRES

Hermanos: La fe es la firme seguridad de los bienes que se esperan, la plena convicción de las realidades que no se ven. A causa de ella fueron alabados nuestros mayores. Por la fe sabemos que el universo fue formado por la palabra de Dios, de modo que lo visible ha tenido su origen en una causa invisible.

Por la fe ofreció Abel a Dios un sacrificio más excelente que el de Caín; por ella fue proclamado justo, dando Dios mismo testimonio a favor de sus ofrendas, y por la fe continúa hablando aun después de su muerte.

Por la fe fue trasladado Henoc sin experimentar la muerte: «No fue hallado más, porque Dios se lo llevó.» Pero antes de ser trasladado se da testimonio en su favor de que «había sido grato a Dios». Ahora bien, sin la fe es imposible agradar a Dios, pues el que se acerca a Dios debe creer que existe y que es remunerador de los que lo buscan.

Por la fe, movido de religioso temor, Noé fabrico el arca para salvar a su familia, advertido por Dios de lo que aún no se veía venir; e, igualmente por la fe, condenó al mundo y se hizo heredero de la justificación que se alcanza por la fe.

Por la fe obedeció Abraham al ser llamado por Dios, saliendo hacia la tierra que había de recibir en herencia, y salió sin saber a dónde iba. Por la fe peregrinó por la tierra prometida, como en tierra extraña, habitando en tiendas con Isaac y Jacob, coherederos de las mismas promesas, pues esperaba entrar en esa ciudad de sólidos cimientos, cuyo arquitecto y constructor es el mismo Dios.

Por la fe la misma Sara, a pesar de su avanzada edad, recibió el poder de ser madre, pues tuvo fe en aquel que se lo había prometido. Y, por esto mismo, de un solo hombre, ya incapaz de transmitir la vida, nacieron hijos, «numerosos como las estrellas del cielo, incontables como las arenas del mar».

En la fe murieron todos ellos, sin haber alcanzado la realización de las promesas, pero las vieron desde lejos y las saludaron, reconociendo que eran «forasteros y peregrinos sobre la tierra». En verdad que quienes así se expresan dan a entender claramente que van en busca de una patria, pues, si hubiesen pensado en aquella de la que habían salido, ocasiones tuvieron para volver a ella. Pero ellos aspiraban a una patria mejor, es decir, a la celestial. Por eso Dios no se desdeña de llamarse su Dios, pues les tenía ya preparada una ciudad.

RESPONSORIO Rm 4, 20. 22; St 2, 22

R. No lo hizo vacilar la incredulidad ante la promesa de Dios, sino que, fortalecido por la fe, dio gloria a Dios; * por lo cual Dios se lo tomó como justificación.
V. La fe cooperaba con sus obras, y por sus obras su fe alcanzó la plenitud.
R. Por lo cual Dios se lo tomó como justificación.


SEGUNDA LECTURA
De los Sermones de san Bernardino de Siena, presbítero
(Sermón 2, Sobre san José: Opera 7, 16. 27-30)

FIEL CUIDADOR Y GUARDIÁN

Es norma general de todas las gracias especiales comunicadas a cualquier creatura racional que, cuando la gracia divina elige a alguien para algún oficio especial o algún estado muy elevado, otorga todos los carismas que son necesarios a aquella persona así elegida, y que la adornan con profusión.

Ello se realizó de un modo eminente en la persona de san José, que hizo las veces de padre de nuestro Señor Jesucristo y que fue verdadero esposo de la Reina del mundo y Señora de los ángeles, que fue elegido por el Padre eterno como fiel cuidador y guardián de sus más preciados tesoros, a saber, de su Hijo y de su esposa; cargo que él cumplió con absoluta fidelidad. Por esto el Señor le dice: Bien, siervo bueno y fiel, pasa al banquete de tu Señor.

Si miramos la relación que tiene José con toda la Iglesia, ¿no es éste el hombre especialmente elegido, por el cual y bajo el cual Cristo fue introducido en el mundo de un modo regular y honesto? Por tanto, si toda la Iglesia está en deuda con la Virgen Madre, ya que por medio de ella recibió a Cristo, de modo semejante le debe a san José, después de ella, una especial gratitud y reverencia.

Él, en efecto, cierra el antiguo Testamento, ya que en él la dignidad patriarcal y profética alcanza el fruto prometido. Además, él es el único que poseyó corporalmente lo que la condescendencia divina había prometido a los patriarcas y a los profetas.

Hemos de suponer, sin duda alguna, que aquella misma familiaridad, respeto y altísima dignidad que Cristo tributó a José mientras vivía aquí en la tierra, como un hijo con su padre, no se la ha negado en el cielo; al contrario, la ha colmado y consumado.

Por esto, no sin razón añade el Señor: Pasa al banquete de tu Señor. Pues, aunque el gozo festivo de la felicidad eterna entra en el corazón del hombre, el Señor prefirió decide: Pasa al banquete, para insinuar de un modo misterioso que este gozo festivo no sólo se halla dentro de él, sino que lo rodea y absorbe por todas partes, y que está sumergido en él como en un abismo infinito.

Acuérdate, pues, de nosotros, bienaventurado José, e intercede con tus oraciones ante tu Hijo; haz también que sea propicia a nosotros la santísima Virgen, tu esposa, que es madre de aquel que con el Padre y el Espíritu Santo vive y reina por siglos infinitos. Amén.

RESPONSORIO

R. Dios me constituyó como padre del rey y como señor de toda su casa; * me elevó para hacer llegar la salvación a muchos pueblos.
V. El Señor ha sido el auxilio y refugio que me ha salvado.
R. Me elevó para hacer llegar la salvación a muchos pueblos.

Himno: SEÑOR, DIOS ETERNO

Señor, Dios eterno, alegres te cantamos,
a ti nuestra alabanza,
a ti, Padre del cielo, te aclama la creación.

Postrados ante ti, los ángeles te adoran
y cantan sin cesar:

Santo, santo, santo es el Señor,
Dios del universo;
llenos están el cielo y la tierra de tu gloria.

A ti, Señor, te alaba el coro celestial de los apóstoles,
la multitud de los profetas te enaltece,
y el ejército glorioso de los mártires te aclama.

A ti la Iglesia santa,
por todos los confines extendida,
con júbilo te adora y canta tu grandeza:

Padre, infinitamente santo,
Hijo eterno, unigénito de Dios,
santo Espíritu de amor y de consuelo.

Oh Cristo, tú eres el Rey de la gloria,
tú el Hijo y Palabra del Padre,
tú el Rey de toda la creación.

Tú, para salvar al hombre,
tomaste la condición de esclavo
en el seno de una virgen.

Tú destruiste la muerte
y abriste a los creyentes las puertas de la gloria.

Tú vives ahora,
inmortal y glorioso, en el reino del Padre.

Tú vendrás algún día,
como juez universal.

Muéstrate, pues, amigo y defensor
de los hombres que salvaste.

Y recíbelos por siempre allá en tu reino,
con tus santos y elegidos.

La parte que sigue puede omitirse, si se cree oportuno.

Salva a tu pueblo, Señor,
y bendice a tu heredad.

Sé su pastor,
y guíalos por siempre.

Día tras día te bendeciremos
y alabaremos tu nombre por siempre jamás.

Dígnate, Señor,
guardarnos de pecado en este día.

Ten piedad de nosotros, Señor,
ten piedad de nosotros.

Que tu misericordia, Señor, venga sobre nosotros,
como lo esperamos de ti.

A ti, Señor, me acojo,
no quede yo nunca defraudado.

ORACIÓN.

OREMOS,
Dios todopoderoso, que, en los albores del nuevo Testamento, encomendaste a san José los misterios de nuestra salvación, haz que ahora tú Iglesia, sostenida por la intercesión del esposo de María, lleve a su pleno cumplimiento la obra de la salvación de los hombres. Por nuestro Señor Jesucristo, tu Hijo, que vive y reina contigo en la unidad del Espíritu Santo y es Dios, por los siglos de los siglos.
Amén

CONCLUSIÓN

V. Bendigamos al Señor.
R. Demos gracias a Dios.