terça-feira, 30 de abril de 2013

E TU, TENS ALGUMA COISA PARA CONTAR?


Dia 14 de Abril
No final da "Missão de rua" em Angra , 
as Comunidades Neocatecumenais
reuniram-se de novo na Igreja da Sé, 
onde cada irmão teve a oportunidade de contar as maravilhas que o Senhor fizera com eles 
e com aqueles que foram tocados pela Missão.


PASSA UM BOM DIA

segunda-feira, 29 de abril de 2013

Homilia do Papa Francisco pronunciada na Santa Missa e Crisma neste V Domingo de Páscoa



Amados irmãos e irmãs!

Queridos crismandos! Bem-vindos!

Gostaria de vos propor três pensamentos, simples e breves, para a vossa reflexão.

1.Na Segunda Leitura, ouvimos a estupenda visão de São João: um novo céu e uma nova terra e, em seguida, a Cidade Santa que desce de junto de Deus. Tudo é novo, transformado em bondade, em beleza, em verdade; não há mais lamento, nem luto... Tal é a acção do Espírito Santo: Ele traz-nos a novidade de Deus; vem a nós e faz novas todas as coisas, transforma-nos. O Espírito transforma-nos! E a visão de São João lembra-nos que todos nós estamos a caminho para a Jerusalém celeste, a novidade definitiva para nós e para toda a realidade, o dia feliz em que poderemos ver o rosto do Senhor – aquele rosto maravilhoso, tão belo do Senhor Jesus –, poderemos estar para sempre com Ele, no seu amor.

Olhai! A novidade de Deus não é como as inovações do mundo, que são todas provisórias, passam e procuram-se outras sem cessar. A novidade que Deus dá à nossa vida é definitiva; e não apenas no futuro quando estivermos com Ele, mas já hoje: Deus está a fazer novas todas as coisas, o Espírito Santo transforma-nos verdadeiramente e, através de nós, quer transformar também o mundo onde vivemos. Abramos a porta ao Espírito, façamo-nos guiar por Ele, deixemos que a acção contínua de Deus nos torne homens e mulheres novos, animados pelo amor de Deus, que o Espírito Santo nos dá. Como seria belo se cada um de vós pudesse, ao fim do dia, dizer: Hoje na escola, em casa, no trabalho, guiado por Deus, realizei um gesto de amor por um colega meu, pelos meus pais, por um idoso. Como seria belo!

2. O segundo pensamento: na Primeira Leitura, Paulo e Barnabé afirmam que «temos de sofrer muitas tribulações para entrarmos no Reino de Deus» (Act 14, 22). O caminho da Igreja e também o nosso caminho pessoal de cristãos não são sempre fáceis, encontramos dificuldades, tribulações. Seguir o Senhor, deixar que o seu Espírito transforme as nossas zonas sombrias, os nossos comportamentos em desacordo com Deus e lave os nossos pecados, é um caminho que encontra muitos obstáculos fora de nós, no mundo, e dentro de nós, no coração. Mas, as dificuldades, as tribulações fazem parte da estrada para chegar à glória de Deus, como sucedeu com Jesus que foi glorificado na Cruz; aquelas sempre as encontraremos na vida. Não desanimeis! Para vencer estas tribulações, temos a força do Espírito Santo.

3. E passo ao último ponto. É um convite que dirijo a todos, mas especialmente a vós, crismandos e crismandas: permanecei firmes no caminho da fé, com segura esperança no Senhor. Aqui está o segredo do nosso caminho. Ele dá-nos a coragem de ir contra a corrente. Sim, jovens; ouvistes bem: ir contra a corrente. Isto fortalece o coração, já que ir contra a corrente requer coragem e Ele dá-nos esta coragem. Não há dificuldades, tribulações, incompreensões que possam meter-nos medo, se permanecermos unidos a Deus como os ramos estão unidos à videira, se não perdermos a amizade com Ele, se lhe dermos cada vez mais espaço na nossa vida. Isto é verdade mesmo, e sobretudo, quando nos sentimos pobres, fracos, pecadores, porque Deus proporciona força à nossa fraqueza, riqueza à nossa pobreza, conversão e perdão ao nosso pecado. O Senhor é tão misericordioso! Se vamos ter com Ele, sempre nos perdoa. Tenhamos confiança na acção de Deus! Com Ele, podemos fazer coisas grandes; Ele nos fará sentir a alegria de sermos seus discípulos, suas testemunhas. Apostai sobre os grandes ideais, sobre as coisas grandes. Nós, cristãos, não fomos escolhidos pelo Senhor para coisinhas pequenas, ide sempre mais além, rumo às coisas grandes. Jovens, jogai a vida por grandes ideais!

Novidade de Deus, tribulação na vida, firmes no Senhor. Queridos amigos, abramos de par em par a porta da nossa vida à novidade de Deus que nos dá o Espírito Santo, para que nos transforme, nos torne fortes nas tribulações, reforce a nossa união com o Senhor, o nosso permanecer firmes n'Ele: aqui está a verdadeira alegria. Assim seja.

PAPA FRANCISCUM



Da redação do Portal Ecclesia.
Publicado em 28/04/2013, às 13:33.

Prece para hoje


TEM UM BOM DIA

domingo, 28 de abril de 2013

HOJE É O DIA DO SENHOR


V DOMINGO DA PÁSCOA


A Despedida

Na Liturgia desses domingos de Páscoa,
podemos perceber a preocupação de Cristo
em formar a sua Igreja, que continuará
a obra de salvação iniciada por ele:
- As aparições no Cenáculo e na pesca milagrosa...
- A imagem do Rebanho, do qual Cristo é o Bom Pastor...

Hoje nos fala do espírito que deve animar a nova Comunidade:
O AMOR MÚTUO.

A 1a Leitura mostra o final da 1a viagem missionária de Paulo e Barnabé,
na qual fundaram e organizaram novas comunidades cristãs. (At 14,21b-27)

Nela podemos notar três elementos:

- O Anúncio da Palavra até os confins da terra:
  anunciar o seu amor e o seu desejo de salvação para toda a humanidade.
- Os Conflitos são superados:
  Os sofrimentos são indispensáveis para entrar no Reino,
  mas confirmam a autenticidade da mensagem e
  possibilitam sentir a presença de Deus na caminhada da comunidade.
- A Organização das Comunidades:
  Paulo cria uma Instituição de Dirigentes ("Presbíteros"),
  que aparecem aqui pela primeira vez fora da Igreja de Jerusalém.
  É um ministério para administrar, vigiar e defender a comunidade.
  A Comunidade não existe para servir quem preside;
  quem preside é que existe em função da comunidade e do serviço comunitário...
  Paulo escolhe diretamente, após uma preparação de oração e jejum...

O Salmo é um canto de louvor a Deus
pois é "bom e compassivo com todas as criaturas". (Sl 145)

A 2ª Leitura mostra o rosto final dessa Comunidade
de chamados a viver no amor. (Ap 21.1-5a)

O autor sonha com um novo céu e uma nova terra.
Deus veio morar conosco.
Cabe à Comunidade cristã transformar a Babilônia em que vivemos
em nova Jerusalém. A Comunidade cristã deve ser um anúncio
dessa comunidade escatológica, dessa "noiva" bela,
que caminha com amor ao encontro do Amado (Deus).

No Evangelho, Jesus, ao se despedir dos discípulos,
deixa em testamento à comunidade o "MANDAMENTO NOVO:
"Amai-vos uns aos outros, COMO eu vos amei". (Jo 13,31-33a.34-35)
Essas palavras soam como um testamento final de uma vida feita amor e partilha.
O Mandamento do amor deve ser o Estatuto da Comunidade cristã.

+ O AMOR MÚTUO:

   - É SINAL da presença de Jesus na comunidade cristã.
     Jesus continua sua presença e sua ação no amor mútuo dos discípulos.

   - É o DISTINTIVO do verdadeiro cristão:
     "Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos,
      se tiverdes amor uns para com os outros".

  - É um MANDAMENTO NOVO:
     MANDAMENTO: não é apenas um conselho... convite...
     NOVO: Onde está a novidade? "Amar o próximo como a si mesmo"
     já existia no Antigo Testamento (Lev 19,18).
     - A novidade está na medida desse amor: "Como EU vos tenho amado..."

O amor de que Jesus fala é o amor que acolhe,
que se faz serviço, que respeita a dignidade e a liberdade do outro,
que não discrimina nem marginaliza,
que se faz dom total (até à morte)
para que o outro tenha mais vida.
- É este o amor que vivemos e que partilhamos?

Neste ponto, a comunidade cristã se apresenta hoje
como um alternativa à visão de sociedade,
que continua baseada na competição, no poder do dinheiro,
mesmo à custa das lágrimas dos pobres,
das angústias e do sangue dos humildes.
Ela deve testemunhar com gestos concretos o amor de Deus;
deve demonstrar que a utopia é possível
e que os homens podem ser irmãos.
- É esse o nosso testemunho de comunidade cristã ou religiosa?

+ O Distintivo da Nova Comunidade:
Os discípulos de Jesus não são os depositários de uma doutrina,
ou de uma ideologia, ou os observadores de leis,
ou os fiéis cumpridores de ritos:
Mas são aqueles que, pelo amor mútuo,
vão ser um sinal vivo do Deus que ama.

A proposta cristã resume-se no amor.
O amor é o distintivo, que nos identifica;
quem não vive o amor, não integra a comunidade de Jesus. 
O amor mútuo é a síntese de toda a Lei da Nova Aliança,
é o estatuto que fundamenta a Comunidade cristã.

- A nossa religião é a religião do amor,
  ou é a religião das leis, das exigências, dos ritos externos?

- Em nossos gestos, as pessoas descobrem
  a presença do Amor de Deus no Mundo?


 Pe. Antônio Geraldo Dalla Costa -28.04.2013

sábado, 27 de abril de 2013

DOIS CARISMAS QUE SE UNEM DENTRO DE MIM







 Então, depois de uns dias a respirar outros ares, pisámos o nosso chão com uma certa dificuldade por causa das rajadas de vento que acompanhavam a chuva grossa.
Foram dias repletos de expectativas, mas outros de muita tranquilidade.
No fim das contas, tudo correu muito bem, graças a Deus e chegamos “sãos e salvos”, como diria a minha Mãe.

A par de tratarmos da saúde, cuidei igualmente do espírito e como havia previsto, no fim de semana – domingo do bom Pastor - desloquei-me a Fátima ao Instituto das Irmãs Reparadoras Missionárias da Santa Face para fazer o meu oferecimento eterno ao Senhor, pela mão da Sua e nossa Mãe, Maria de Nazaré.
Ofereci o que tenho e sou, que é nada, mas foi isto que o Senhor me pediu. Entreguei os meus muitos pecados e o desejo de tudo dar para remissão dos meus pecados e dos pecados de todo o mundo. Entrega, implica muita oração e renúncias...  O sofrimento faz crescer quando é oferecido com alegria, já dizia o meu responsável da Comunidade de Macau e eu tenho constatado que ele tem razão. É assim a entrega de quem caminha no Instituto da Santa Face.

Foi um momento muito sério para mim. Lembrei-me da passagem do “homem rico” de que fala o evangelho; perante a proposta de Jesus eu tinha de a aceitar, porque desejo concretizá-la na minha vida e também sei que o que eu fizer, é o Senhor que o faz por mim. O meu papel é dizer SIM; o resto é com Ele !

É assim que eu convivo imensamente bem com o carisma do Caminho e o da Santa Face.

Rezem por mim.


PASSA UM BOM DIA



quarta-feira, 17 de abril de 2013

terça-feira, 16 de abril de 2013

PARABÉNS, SANTO PADRE BENTO XVI


Ocorre neste dia, o aniversário do Papa emérito, Bento XVI. Que o Espírito de Cristo Ressuscitado o assista hoje e todos os dias da sua vida.
Desejo-lhe muitos anos de vida para continuar a ser o pastor que guia as ovelhas do Senhor. A Igreja tem muitos Pastores e o Papa Bento é um deles.
Saúde, Santo Padre.







segunda-feira, 15 de abril de 2013

"MISSÃO DE RUA" EM ANGRA DO HEROÍSMO

Ontem, III Domingo de Páscoa, a Ilha Terceira mais uma vez foi pelas ruas cantar, tocar e dar glória ao Senhor Ressuscitado por nos amar tal como somos, ao ponto de morrer e ressuscitar para nos dar Vida Nova. Demos testemunho deste Mistério: Cristo está vivo e está no meio de nós a passar a Sua força, esperança e alegria.

O início e terminus da "Missão", 
teve lugar na Sé Catedral de Angra.
Fomos acolhidos pelo Vigário Geral, Sr Pe Helder da Fonseca 
que proclamou o Evangelho e fez a homilia.



Rua da Palha, rua da Rocha.


Passamos pela Rua Direita





Depois da concentração na Praça Velha
dirigimo-nos à Rua do Colégio.


Passando o "testemunho", Rua do Seminário.


Subida da Rua da Sé em direcção
ao Alto das Covas onde nos concentrámos 
para cantar, tocar e dançar 
em louvor de Cristo Ressuscitado.


Adro da Sé Catedral





Terminámos na Sé com o Magnificat e
Benção pelo Sr Pe Vasco.


PASSA UM BOM DIA

Papa desafia cristãos a dar testemunho de Cristo com coragem





O Papa desafiou, este domingo, os cristãos a dar testemunho de Cristo, independentemente das adversidades e incompreensões que encontrem. 

“Peçamos ajuda a Maria Santíssima para que a Igreja em todo o mundo anuncie com franqueza e coragem a Ressurreição do Senhor e dela dê um válido testemunho com sinais de amor fraterno”, afirmou durante a oração Regina Caeli, no Vaticano. 

“E são tantos os que sofrem perseguições, em tantos países. Rezemos de modo especial pelos cristãos que sofrem perseguição. Que sintam a presença viva e reconfortante do Senhor Ressuscitado”, pediu ainda. 

Francisco utilizou o exemplo dos cristãos perseguidos para validar as dificuldades sentidas pelas primeiras comunidades cristãs. 

“Quando uma pessoa conhece verdadeiramente Jesus Cristo e acredita nele, experimenta a sua presença na vida e a força da ressurreição, não pode fazer outra coisa do que comunicar esta experiência”. 

“O amor fraterno é o testemunho mais próximo que podemos dar de que Jesus está connosco, vivo, de que Jesus ressuscitou”, referiu, num dos momentos improvisados da sua intervenção. 

Após a oração do Regina Caeli, o Papa colocou uma mensagem na sua conta da rede social Twitter: “Recordemo-lo bem todos nós, não se pode anunciar o Evangelho de Jesus sem o testemunho concreto da vida”.



(Rádio Renascença)